Líder camponês irá a juri popular em Pernambuco

A- A A+
Pin It
No dia 5 de fevereiro de 2005, no município de Quipapá-PE, o líder camponês José Ricardo Rodrigues — conhecido por sua dedicação na luta pela terra no estado de Pernambuco — foi vítima de uma frustrada tentativa de assassinato. Mesmo escapando com vida, José Ricardo, foi preso arbitrariamente e até hoje não foi julgado. A ação foi mais uma manobra do latifúndio e de seus serviçais para desmobilizar o movimento camponês na região, protagonista de diversas conquistas fundamentais para a vida dos trabalhadores.

Desde o ocorrido, não cessaram os protestos dos camponeses de todos os assentamentos da região pela libertação imediata de José Ricardo. Apoiado, por trabalhadores da cidade, estudantes e democratas em geral, o movimento obteve uma importante conquista nos últimos dias. Na ocasião o Comitê de Apoio aos Camponeses de Quipapá realizou uma vigorosa Audiência Pública na Câmara Municipal como forma de denunciar para a toda a população as injustiças que José Ricardo vem sofrendo e arregimentar o seu decisivo apoio a esta luta.

Momentos antes da audiência, uma comissão formada por familiares e apoiadores de José Ricardo, seguida de duzentos camponeses, foi ao fórum com a finalidade de pressionar o juiz para que fosse marcada a data do júri, adiado por diversas vezes. Mesmo com a ausência do juiz, o promotor, impressionado com determinação e a firmeza da comissão, marcou para o dia 2 de abril, no Fórum de Quipapá, o julgamento de José Ricardo. Depois de três anos preso sem julgamento e sem o direito de aguardar em liberdade, o líder camponês, enfim, irá a júri popular.

A Liga dos Camponeses Pobres e o Movimento Estudantil Popular e Revolucionário prestaram sua solidariedade e reafirmaram que a campanha em defesa do líder camponês só terá fim no dia em que ele for solto. O Núcleo dos Advogados do Povo e o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos também enviaram uma nota de apoio e incen tivo a luta dos companheiros pela libertação de José Ricardo.

A audiência pública realizada depois que a decisão do promotor foi anunciada, teve a participação de cerca de 180 pessoas. Grande parte dos presentes eram camponeses pobres da região, dos municípios de Lagoa dos Gatos, Catende e Jaqueira, que conhecem José Ricardo de perto e já travaram diversas lutas ao seu lado.

No final do dia, para consolidar o sucesso do movimento, uma passeata em duas colunas percorreu as ruas da cidade, erguendo cartazes e entoando palavras de ordem como, "O juiz, pode esperar, no dia 2 vamos voltar!".

O episódio é apenas uma amostra da disposição dos camponeses pobres pernambucanos em endurecer a luta pela terra e contra as atrocidades cometidas pelo latifúndio, com o total respaldo do Estado.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja