Estudantes protestam contra aumento de tarifas em Goiânia

http://www.anovademocracia.com.br/43/02.jpg

Estudantes pulam a catraca para panfletar em ônibus

O caos do transporte público, comum e banalizado em todas capitais brasileiras, é cada vez mais motivo de revoltas populares.

Em Goiânia um novo aumento da tarifa eleva o valor em 11,11%. Agora, cada trabalhador pagará R$ 2,00 para ser transportado em condições desumanas. O lucro das empresas goianienses é um dos maiores do país devido ao elevado processo de mecanização. Em Goiânia já não há mais cobradores! Mas os empresários do setor não se contentam em colaborar com o desemprego, a superlotação, as más condições dos veículos, os baixos salários dos motoristas, e agora, mais um aumento das tarifas.

Diversos setores da sociedade têm sofrido as consequências. A passadeira Maria de Oliveira reclama:

Agora vou gastar R$ 8,00, são quatro viagens por dia, para levar meu filho na creche é uma passagem, pra ir trabalhar é outra, e ainda tenho que ir e voltar em pé e sendo empurrada nos ônibus lotados.

Os estudantes que há muito lutam pelo passe-livre estudantil, denunciam que esse absurdo no transporte público é devido ao mesmo processo de privatização dos serviços públicos fundamentais como acontece com a saúde, a educação, a previdência e outros.

Cerca de 60 estudantes da Universidade Federal de Goiás — UFG, de diversos cursos convocados pelo Movimento Estudantil Popular Revolucionário protestaram no dia 25 de abril realizando o tradicional pula-catracas. Entraram no ônibus e não pagaram, pularam as catracas eletrônicas e distribuíram panfletos denunciando o absurdo aumento e exigindo o passe-livre estudantil.

Desta vez os motoristas foram orientados pela empresa a levar todos os estudantes para a delegacia no intuito de intimidar o protesto. Mas os estudantes se mantiveram firmes, e no ônibus parado enfrente à delegacia bradavam palavras-de-ordem contra a repressão e em favor da legitimidade do ato, o alvoroço chamou a atenção de populares que aprovavam a atitude dos estudantes. O delegado, para evitar maior repercussão, liberou os estudantes que voltaram vitoriosos para o Campus da UFG.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro