Greve dos bancários obtém vitória parcial

A- A A+
Foto: Elza Fiúza-ABr
http://www.anovademocracia.com.br/48/10.jpg
Faixas anunciam a greve dos bancários em Brasília
A greve nacional dos bancários foi encerrada em 24 de outubro. A união e mobilização da categoria garantiram aumento maior do que o proposto inicialmente pelos bancos. Os pelegos, para variar, tentaram esvaziar o movimento.

A mobilização dos bancários começou no final de setembro. No Rio de Janeiro, Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul, já no dia 30 de setembro, a categoria decidiu pela greve por tempo indeterminado. No mesmo dia, houve paralisações de 24h em todo o país como forma de pressionar os bancos a apresentar uma nova proposta de reajuste salarial.

A Caixa Economia Federal teve um lucro 1.156% maior, entre janeiro e setembro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado. Mas mesmo assim, os bancos ofereciam um reajuste de 7,5% no salário e nos demais benefícios, como auxílio-alimentação e creche. Os bancários reivindicavam reposição da inflação acumulada de 7,15%, 5% de aumento real, vale-alimentação de R$ 17,50 por dia, auxílio-creche de R$ 415, valorização nos pisos salariais, Participação nos Lucros e Resultados maior que no ano passado, fim das metas abusivas e do assédio moral. Em 2008, os bancos tiveram lucros altíssimos, mesmo com a suposta crise na economia.

A paralisação nacional por tempo indeterminado foi decidida, na maioria dos estados, no dia sete de outubro. Uma semana depois, as negociações eram retomadas com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e intermediadas pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Os bancários deveriam suspender a paralisação por dois dias, mas na prática, continuaram de braços cruzados.

No dia 17 de outubro, a Fenaban apresentou uma nova proposta, com reajuste salarial de 9% para salários de até R$ 1.500,00 e 7,5% para quem ganhava acima deste valor. A proposta foi considerada insuficiente pela categoria. Cinco dias depois, a Fenaban apresentou nova proposta, com reajuste de 10% para quem ganhava até R$ 2.500,00 e de 8,15% para quem ganhava acima deste valor. A proposta também aumentou o cálculo do PLR de 80% do salário mais R$ 878 para 90% do salário mais R$ 966. Os outros benefícios, como vale-alimentação e auxílio-creche, tiveram percentual de aumento de 8,15%.

Apesar da decisão da maioria da categoria em encerrar a greve, os funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal (CEF) continuaram com os braços cruzados. Eles tinham demandas específicas para negociar com os bancos, que não apresentou novos benefícios. Os funcionários da CEF só encerraram a paralisação no dia 24 de outubro.

Há anos os bancários lutam contra a direção oportunista de seus sindicatos. As disputas entre CUT (PT) e Conlutas (PSTU) pelo título de melhor vendedor dos interesses dos trabalhadores por vezes são atropeladas pela espontaneidade das massas, que ignoram seus "líderes" e desencadeiam movimentos que fogem ao controle dos pelegos.
LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja