Ocupação operária agita Chicago

http://www.anovademocracia.com.br/49/17b1.jpg
Trabalhadores protestam em frente à fábrica

No último dia 8 de dezembro, cerca de 250 operários da fábrica de janelas e portas Republic Windows and Doors Factory de Chicago, ocuparam as instalações da indústria reivindicando uma série de direitos. Isso porque ao final do expediente do dia 5 de dezembro, patrões anunciaram que a fábrica encerraria suas atividades sem pagar os encargos que devem aos trabalhadores, entre eles salários atrasados, férias e renovação de uma série de gratificações, o que costumava acontecer ao fim de cada ano.

Revoltados, os operários — na sua maioria imigrantes latinos — permanecem no local. A direção da fábrica desesperada com a repercussão do caso, bem que tentou voltar atrás da decisão, mas o  Bank of América, com o qual a  Republic Windows Factory tem uma série de dívidas — totalizando cerca de 15 bilhões de dólares — pressionou a direção da indústria para que ela fosse fechada imediatamente. Sendo assim, a falência da fábrica está quase dada como certa, o que faz aumentar a cada dia o leque de apoio aos operários por parte de instituições democráticas por todo o país e pelo mundo. Sindicatos e outras organizações de imigrantes organizam protestos na porta da fábrica todos os dias.

http://www.anovademocracia.com.br/49/17b1.jpg
Protestos em frente ao Bank of América

Os operários suspeitam também que os patrões querem fechar a fábrica para reabri-la noutro local, e que máquinas, matéria prima e material de escritório foram retirados por gerentes sem terem feito registro nos estoques.

A última experiência semelhante vivida no USA foi no inicio dos anos 50, quando garçons e cozinheiros — quase todos negros — ocuparam restaurantes reivindicando direitos trabalhistas iguais aos dos brancos. O movimento foi um sucesso e todas as exigências dos imigrantes negros que trabalhavam em restaurantes foram atendidas e, além disso, expandiram-se para outras categorias.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin