O que o novo salário mínimo pode comprar

A- A A+

No final de janeiro, após reunir-se com sindicalistas oficialistas, como é de praxe, Lula anunciou sua proposta para o novo salário mínimo: R$ 465. Por diversas vezes, AND explicou a relação entre salário mínimo e cesta básica. Dessa vez, fomos ao supermercado conferir o que o salário mínimo pode comprar.

O Presidente já enviou a proposta do novo salário mínimo ao Congresso no valor de R$465, um aumento de 12%, o que vale R$ 50. O novo valor deve vigorar, inicialmente, por força de Medida Provisória, no primeiro mês, como já se tornou costume. Mas já deve valer em fevereiro, sendo que os trabalhadores receberão o aumento em março.
Mais uma vez, cabe lembrar o conceito esquecido do salário mínimo, de acordo com a Constituição Federal: é um direito de todos os trabalhadores, deve ser fixado em lei e atender às necessidades vitais básicas de um trabalhador e às de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social. O conceito de cesta básica foi criado na mesma época do salário mínimo e se compõe de treze alimentos: carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga.
O salário mínimo deveria comprar tudo o que está constitucionalmente elencado, mas não pode. Aliás só pode em seu início, na década de 40. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o Dieese, em dezembro, quando o salário era R$ 415, o salário mínimo necessário, ou seja, aquele que realmente poderia comprar tudo que está “garantido” por lei, deveria ser de R$ 2.141,08.
Mas, como o salário real, aquele que mais de 40 milhões de brasileiros recebem mensalmente, deve ser de R$ 465, fomos ao supermercado ver o que ele pode comprar, pensando apenas na cesta básica e desconsiderando a alta dos preços sempre verificada após o aumento do mínimo. De acordo com a nossa pesquisa (tabela 1) os alimentos que compõem a cesta básica, para apenas uma pessoa, valeriam R$ 215, 91. Já para três pessoas e meia, média da família brasileira atual, o valor chegaria a R$ 755,68. Os dados são a prova de que o salário mínimo mal consegue prover a alimentação de uma família.

  Item Tipo Quant. Preço Unitário R$ Preço Total para 1 pessoa (R$) Preço Total para 3,5 pessoas *(R$)
  Carne Músculo (2ª) 6 kg 7,29 43,74 153,09
  Leite Parmalat, Integral 7,5 l 1,69 (L) 11,83 41,40
  Feijão Qualitá, Preto, Tipo 1 4,5 kg 3,89 (kg) 17,50 61,62
  Arroz Tio João, Tipo 1 3 kg 12, 09 (5kg) 7,25 25,38
  Farinha Mandioca, Carreteiro, Tipo 01 1,5 kg 1,99 (kg) 2,98 10,44
  Batata Comum 6 kg 2,19 (kg) 13,14 45,99
  Tomate Carmen 9 kg 3,18 (kg) 28,62 93,87
  Pão Francês 6 kg 7,90 (kg) 47,40 165,90
  Café Brasileiro, tradicional 600 g 3,99 (500 g) 4,78 9,57
  Banana nanica 7,5 dz 1,89 (kg) 14,17 (supondo que 1dz =1kg) 49,59
  Açúcar União, Cristal 3 kg 3,65 (2 kg) 5,47 19,162
  Óleo Soja, soya. 900 ml 2,69 (900ml) 2,69 9,41
  Manteiga Itambé, Extra, com sal 750 g 4,35 (200g) 16,31 57,09
  Total 215,91 755,68
Fonte: Rede Pão de Açúcar, filial Siqueira Campos, Copacabana, Rio de Janeiro, 22 de janeiro de 2009

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja