Camponeses são expulsos do Alto da Paz

A- A A+

O município de Araguatins fica na porção ocidental do estado do Tocantins, reconhecido como estado da federação em outubro de 1988, há pouco menos de 21 anos. No entanto a região é palco de conflitos agrários há décadas. Em menos de cinco anos, apenas na localidade onde se concentra o latifúndio Santo Hilário, foram feitas três denúncias graves: uma de trabalho escravo e duas ações violentas de bandos de pistoleiros a mando do latifúndio que aterrorizaram as famílias camponesas. A mais recente no dia 2 de abril.

http://www.anovademocracia.com.br/52/11c.jpg
Casa de farinha destruída, mandioca jogada fora e mobília destruída durante o despejo

Em agosto de 2004 o Grupo Móvel de Fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego descobriu um cativeiro no latifúndio Santo Hilário com 13 pessoas de uma mesma família vivendo em condições degradantes e seis trabalhadores em condições de escravidão. Três anos depois, em agosto de 2007, o latifúndio Santo Hilário foi palco de um enfrentamento entre camponeses e bandos de pistoleiros e policiais militares que culminou com o assassinato do camponês José Reis, de 25 anos.

Recentemente, no último 2 de abril, o acampamento Alto da Paz, localizado ao lado da fazenda Santo Hilário, foi alvo de uma nova ação de bandos de pistoleiros. Os camponeses denunciaram que, por volta das 12h, três pistoleiros atiraram cinco vezes do interior de um veículo contra o acampamento. Um camponês foi atingido no braço.

No dia seguinte, uma ação de reintegração de posse despejou as 100 famílias que se retiraram para as margens da Fazenda Santo Hilário. As famílias ocupavam e cultivavam aquelas terras há seis anos. Constituíram suas famílias, casas, roças e uma casa de farinha.

Mesmo produzindo e vivendo há tanto tempo naquelas terras, o Incra e o Estado tergiversam e não dão a posse da terra aos camponeses. Eis a "reforma agrária" da gerência Luiz Inácio. A repetição da velha história que vemos tantas vezes em várias regiões do país nas áreas coordenadas pelas direções governistas e oportunistas do movimento camponês atrelado ao MST e PT: acampamentos eternos e camponeses sem a posse efetiva da terra, sem o poder de decidir e governar em suas áreas.

Essa foi a terceira ação de despejo sofrida pelos acampados, que segundo as últimas informações, foram deslocadas e improvisadas no pátio da sede do Incra, em Araguatins.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja