Opiniões

Choque de ordem fascista

Ao A Nova Democracia,

Leitora assídua desse excelente jornal, acabo de ler no nº55, pg. 06, a matéria sobre o "choque de ordem" promovido pelo conjunto de gerentes, como vocês usam para designar os mandantes de turno no Rio de Janeiro. Tenho lido também outras matérias sobre o mesmo tema em edições passadas que tem me causado profunda revolta e me levado a profundas reflexões sobre o assunto.

A meu ver essas ações são típicas do fascismo que vem sendo implantado em todo o país. Aproveito a oportunidade para informar-lhes sobre a matéria que vi na televisão, para ser precisa na RedeTV, no dia 20/07/09, às 23h, no programa "Superpop". Foram entrevistadas a ótima atriz Kátia D’Angelo e outras duas senhoras, D. Celsa e Roselene, que tiveram suas casas invadidas, saqueadas e demolidas, e mais três advogados.

Tudo que vocês têm escrito é pura verdade e se completa com os trágicos depoimentos narrados por essas senhoras e por um dos advogados presentes, testemunhas oculares da barbaridade cometida pelos vândalos a soldo dos gerentes fascistas. Muito comovente, também, o depoimento da Kátia D’Angelo, ilustrado com fotos e vídeos, parecia verdadeiro filme de terror, causando verdadeira indignação a quem assistia. Métodos fascistas/nazistas das décadas de 30/40 são reeditados aqui. É preciso impedir que esse estado de coisas continue aterrorizando as famílias como se estivéssemos em plena guerra, ou estamos? Sugiro que o AND entre em contato com a Kátia D’Angelo e os depoentes. Anotei o site: é www.queremosrespeito.com

Saudações

Sônia M. Marques Fausto
Professora


 

AND de casa nova

http://www.anovademocracia.com.br/56/02a.jpg
Apoiadores de AND presentes na inauguração da nova sede

No dia 30 de julho, AND teve a grata satisfação de receber seus leitores, assinantes, apoiadores e colaboradores em sua nova sede no Rio de Janeiro.

O novo endereço da redação de A Nova Democracia é o quarto andar do prédio da antiga e renomada Ebal, à Rua General Almério de Moura, 302, Bairro de São Cristóvão (zona Norte da cidade). A Ebal, que um dia já foi uma das maiores, senão a maior editora de quadrinhos do Brasil, que já publicou tantas histórias de super-heróis ianques traduzidas para o português, finalmente poderá sediar uma publicação que narra a história e luta dos verdadeiros heróis brasileiros: os operários, camponeses, a gente laboriosa do nosso país.

A nova sede, com um espaço mais amplo e bem equipado, poderá, além de comportar a redação do jornal, propiciar um espaço dedicado a debates e outros eventos em um espaçoso salão. Os planos da direção do jornal são transformá-lo em um centro cultural e espaço para exibição de filmes, reuniões e outras atividades.

A cerimônia de inauguração, que contou com a presença de mais de 60 pessoas, foi marcada por vibrantes depoimentos políticos, como o do Sr. José Maria de Oliveira, um dos fundadores de AND, que narrou os primeiros passos do jornal em uma pequena sala em Copacabana, a conquista dos primeiros apoiadores e os desafios enfrentados para produção do jornal.

O professor Fausto Arruda, presidente do Conselho Editorial do jornal, fez uma exposição sobre o atual momento político e a importância da imprensa popular e democrática nessa crise geral do sistema imperialista e de uma situação revolucionária em desenvolvimento em nosso país.

Tomaram a palavra franca o recém-criado Comitê de Apoio do jornal no Rio de Janeiro, estudantes, operários, professores e um representante da Liga Operária, que transmitiu uma saudação especial da Liga dos Camponeses Pobres, que não pôde enviar um representante à inauguração, pois estava preparando um encontro nacional de delegados em outra região do país.

O artista plástico Gontran Guanaes Netto, painelista popular exilado na França durante o gerenciamento militar, velho militante das causas populares, doou gentilmente quatro grandes painéis, uma "árvore de figuras" representando operários e camponeses trabalhando, que foram fixados no salão da nossa nova sede.

O cartunista Carlos Latuff, um dos nossos valorosos colaboradores, famoso por seus desenhos de protesto contra as agressões do imperialismo aos povos do mundo e dedicadas à resistência popular, exibiu seus desenhos durante a inauguração e prestigiou AND com a sua presença. A mostra de desenhos também contou com a produção de Alex Soares, ilustrador de AND, e Diego Novaes, chargista e colaborador do jornal.

O cavaquinista Ney, morador do morro da Providência e ativo divulgador do jornal entre os moradores da comunidade, também esteve presente e fez uma apresentação musical.

Após a solenidade, um modesto, porém apetitosíssimo, aperitivo preparado por um dos amigos de AND foi servido acompanhado de refrigerantes. Diferente das cerimônias enfadonhas e repletas do mais abjeto puxa-saquismo da burguesia, nossa inauguração não teve espaço (tampouco combinaria) para bebidas alcoólicas. Prevaleceram os bate-papos, as histórias de luta, as brincadeiras das crianças trazidas pelas apoiadoras, as sugestões para novos trabalhos e o sentimento de uma etapa cumprida, que abre as portas para novos desafios ao A Nova Democracia.

Gostaríamos de compartilhar a vibração e ânimo emanados da cerimônia de inauguração a todos os nossos amigos.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza