Caindo no samba com o Zé da Guiomar

A- A A+
Pin It

O grupo mineiro Zé da Guiomar reúne em seu repertório, sambas autorais, clássicos e obras de compositores das Minas Gerais. Em sua mistura fina há também o samba da Bahia, colorindo com novos batuques o samba de roda.

http://www.anovademocracia.com.br/67/14-a.jpg

Somos um grupo dedicado ao bom samba. Começamos sem grandes pretensões, nos apresentando em um bar chamado 'Pastel de Angu'. Mas nossa trajetória acabou sendo marcada no Reciclo Cultura Bar, o espaço cultural da Associação dos Catadores de Papel Asmare. Ficamos conhecidos como o grupo que agitou e ajudou a reunir público no Reciclo fala o saxofonista Renato Carvalho.

O grupo se apresentou por quase dez anos, todas as sextas-feiras, nesse local, que tornou-se uma referência para as pessoas que gostam e procuram um samba nas noites de Belo Horizonte.

A parceria rendeu bons frutos para ambos. Eles faziam, por exemplo, o "Festival do lixo cidadania", convidando artistas de todo o país. E sempre nos apresentávamos ao lado desses artistas. Hoje, infelizmente o local está fechadolamenta Renato.

O nome costuma gerar uma grande curiosidade no público, que acredita ser o "Zé" um dos integrantes.

Muitos perguntam quem é o Zé da Guiomar ou qual de nós é ele (risos). Na verdade o Zé da Guiomar é o grupo. Como nosso estilo é tipicamente brasileiro, tendo uma forte identificação com a nossa cultura popular, achamos que deveríamos ter um nome que fosse algo bem presente na vida do povo, em suas históriasexplica Renato.

E o povo tem muito esse negócio de associar o nome de alguém ao de outro, por exemplo, o da esposa com o do esposo. No caso, a Guiomar é a sua mãe. Significa que o Zé é filho da dona Guiomar (risos). Esse tipo de tratamento é bem comum no meio do povocontinua.

A pessoa que serviu de inspiração, o verdadeiro Zé da Guiomar, era um patrono de marujada de congados, uma manifestação típica do interior de Minas.

Ele comandava um desses congados, e tinha umas histórias muito engraçadas e marcante personalidade, inclusive, um jeito peculiar de apresentar seu grupo. Era quase um símbolo de cultura lá em Conceição do Mato Dentro, uma cidade histórica do interior de Minas. O Zé da Guiomar era de lá conta.

Além de Renato, o grupo é composto por: Márcio Souza (vocal e violão); Valdênio (cavaquinho e voz); Analu (pandeiro e percussão) e Totove (surdo e percussão). Recentemente também Marcelinho do Vale, fazendo percussão.

Sabendo trabalhar o verdadeiro samba, o Zé da Guiomar é um dos responsáveis pelo seu fortalecimento e enraizamento em Belo Horizonte.

Eram poucos os que tocavam samba por aqui quando começamos, pelo menos nos bares da Zona sul. Somente nós fazíamos releitura de grandes autores, como: Zé Ketti, Noel Rosa, Adoniran Barbosa, Cartola, Paulinho da Viola, sempre interpretando com os nossos arranjos.comenta Renato.

Para não destoar daquilo que vínhamos realizando, nosso primeiro disco foi dedicado a regravações. Este CD teve somente uma música inédita e duas autorias, as demais foram releituras. Já no segundo invertemos isso, e partimos para uma linha mais autoral. Fizemos apenas duas regravações continua.

Conexão Minas-Bahia

Estamos preparando o nosso terceiro disco. Nele queremos fazer uma conexão com o samba da Bahia. O Rio de Janeiro é a referência do gênero, sem dúvidas, mas sentimos vontade de tentar uma 'cara nova', buscar algo que dê uma nova forma, bem brasileira, ao nosso tão querido samba. Lembrando que o samba baiano também tem grande expressão e reconhecimento em todo o país afirma Renato.

Praticamente todos os músicos que se aventuram pelo samba em Minas Gerais fazem 'o caminho' do samba carioca, ou buscam ligação, inspiração no que é feito por lá. Até por isso também optamos por fazer essa busca com a Bahia, procurando ajudar enriquecer ainda mais o gênero. E acreditamos que muita coisa boa surgirá dessa junção, que ainda é uma experiência acrescenta.

O Zé da Guiomar gosta muito de misturar ritmos, sem nunca desvirtuar do samba, é claro, tendo-o como elemento principal. A Bahia tem uma maneira peculiar de fazer o seu samba e inúmeros autores. Entre eles estão o Riachão e o Batatinha, que são sambista fantásticos, mas que não têm presença na grande mídia. O primeiro passo já foi dado nas nossas apresentações em Salvador, quando encontramos com o Paulinho Boca de Cantor, que tem uma pesquisa interessante sobre o gênero e disco de samba gravadocontinua.

O grupo tem se apresentado por várias partes do país, além de Minas: Brasília, Rio, São Paulo, Salvador, entre outros. No ano passado o grupo resolveu 'tirar umas férias' das noites, mas, devido a tantas reclamações por parte do público, voltou a tocar fixo este ano.

Muita gente nos procurava e dizia que queria ver o Zé da Guiomar tocando em um local fixo novamente. E nós gostamos desse trabalho nas noites, porque é uma maneira de ter presença e diálogo permanente com o público, com o pessoal que acompanha o trabalho do grupoconta Renato.

E para quem gosta do "Zé da Guiomar" e do bom samba ele avisa:

Estamos todas as sextas no 'Observatório', que é um bar com tradição de música ao vivo em Belo Horizonte. E todas as quintas e um sábado por mês, no 'Vinil Cultura Bar', um dos mais legítimos e duradouros quando se fala em música ao vivo. O samba mineiro realmente tem mostrado que conquistou o seu espaço, e nos sentimos honrados por fazer parte do time que começou esse caminho conclui satisfeito.

Para contratar os shows do Zé da Guiomar, ligue para (31) 2515-9023/3284-0709 ou pelo www.bangaloproducoes.com.br.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja