Atentado contra taxista que denunciou polícia

Em abril de 2009, durante operação da PM no morro da Coroa, Zona Norte do Rio de Janeiro, o eletricista Josenildo Estanislau dos Santos, de 42 anos, foi julgado e executado por policiais juntamente com outras cinco pessoas.

http://www.anovademocracia.com.br/68/08-a.jpg
Um ano após denunciar assassinato do irmão,
o táxi de Josilmar é atingido por tiro de fuzil

— Moradores viram quando ele implorou para não morrer. Mandaram ele sentar e atiraram. Isso só porque ele estava descendo a rua e viu os policiais matando as outras pessoas — disse na ocasião o seu irmão, Josilmar Macário dos Santos, de 46 anos, que depois do crime, junto com outros familiares de Josenildo, começou uma incansável luta por justiça para os PMs que executaram barbaramente o seu irmão.

Pouco mais de um ano depois, no dia 7 de maio último, Josilmar dirigia seu taxi nas proximidades do morro da Coroa, quando o carro foi atingido por um tiro de fuzil. O taxista e sua família há tempos já vinham sendo ameaçados por policiais devido a luta que travavam na justiça contra os assassinos de Josenildo.

http://www.anovademocracia.com.br/68/08-b.jpg
Josinaldo foi morto durante operação da PM no morro da Coroa

Com a ajuda da Rede de Movimentos e Comunidades contra a Violência e de outras organizações democráticas, Josilmar foi incluído no Programa Nacional de Defesa dos Defensores de Direitos Humanos, o que mesmo assim, demorou mais de 20 dias para acontecer. No entanto, quase três meses após o atentado, a vulnerabilidade do taxista não foi alterada e, até agora, ele não recebeu nenhum tipo de proteção, tendo que evitar o trabalho por medo de um novo atentado.

Desde o início das ameaças, três dos nove irmãos de Josilmar se mudaram do morro. O taxista, que se manteve firme na luta por justiça para os PMs que assassinaram seu irmão, precisa tomar remédios para conseguir dormir.

http://www.anovademocracia.com.br/68/08-c.jpg
Familiares do trabalhador executado protestam às porta do 1º Batalhão da PM

— Assim quem vai estar preso serei eu, não os policiais que cometeram o crime. É uma inversão de valores — protesta Josilmar.

No final do ano passado, AND denunciou as ameaças e intimidações de PMs do 9° batalhão contra militantes de movimentos populares que vivem na favela de Acari, subúrbio do Rio de Janeiro. Na ocasião, a casa de José Luís Faria da Silva, pai de Maicon (morto por policiais aos dois anos, em 1996) foi invadida e revirada por PMs. Até hoje, José Luís e outro militante, Vanderlei da Cunha (Deley de Acari) seguem sofrendo ameaças de policiais por tentarem proteger os moradores do sadismo da polícia assassina de Sérgio Cabral.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin