'PAC do Obama' é plano de guerra

A administração Obama anunciou, no dia do Trabalho do USA, um pacote de US$ 50 bilhões em obras de infraestrutura para os próximos seis anos, alegadamente para recuperar a economia ianque em agonia. É o "PAC do Obama". Mas os objetivos do PAC de lá vão além dos do PAC de cá, o de Luiz Inácio, programa eminentemente eleitoreiro e de socorro às empreiteiras que financiam o PT.

O PAC do Obama também tem cunho eleitoreiro, tendo em vista que mais um sufrágio farsesco se avizinha no USA, desta vez para renovar o Congresso ianque, e a facção política de Obama, o Partido Democrata, arrisca ficar sem maioria no legislativo por causa da insatisfação generalizada dos trabalhadores de lá com o desemprego e com a precarização contínua das suas condições de vida.

Além disso, porém, o PAC do Obama parece servir à preparação da infraestrutura e da economia ianques para uma nova grande guerra imperialista, bem como o "New Deal" ("Novo Ajuste") de Franklin Roosevelt, um enorme programa de obras públicas que funcionou como preliminar visando a solução final dos monopólios para o problema do crescimento econômico. No caso, o desaguadouro da crise de superprodução da década de 1930 na segunda grande guerra imperialista pela partilha do mundo entre as associações de capitalistas das grandes potências.

Viram as betoneiras e rufam os tambores

No início daquela década, o USA tinha 14 milhões de desempregados. Com o "New Deal", a administração Roosevelt construiu ou restaurou 400 mil quilômetros de estradas, levantou 40 mil escolas e instalou 3,5 milhões de metros de tubulações de água e esgoto. No final da década de 1930, o USA ainda tinha 9 milhões de desempregados, e o problema só foi minimizado mesmo quando a crise de então descambou para a guerra.

Os economistas mais consequentes, mesmo os que trabalham para a burguesia, aprenderam uma lição com o "New Deal": investimentos em infraestrutura não estimulam a economia capitalista rapidamente. Hoje, o USA tem 15 milhões de pessoas que não conseguem encontrar trabalho. O PAC do Obama prevê a recuperação de 240,4 mil quilômetros de estradas e a construção de 6,4 mil quilômetros de ferrovias. Tendo em vista que o prazo do plano é de curtos seis anos, tudo indica que o "New New Deal" da atual administração ianque serve aos mesmos propósitos a que o "New Deal" serviu há 80 anos. Trata-se de uma política de guerra, visando a guerra, pensada para a guerra, para esperar a guerra, para ser complementada com a guerra.

Não é por acaso que o PAC do Obama tem orçamento de US$ 50 bilhões, enquanto os gastos militares anuais com os esforços já em curso pela partilha do mundo estão na casa do trilhão de dólares. O imperialismo vira as betoneiras em casa ao mesmo tempo em que faz rufar os tambores do enfrentamento com os outros blocos de poder global.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro