Abre-se a luta contra o capitalismo e o revisionismo na China

A- A A+
Pin It

Trechos de O julgamento de Zhao Dong-min* e a reforma política na China redigido por Liu Bai em revolutionaryfrontlines.wordpress.com, traduzido pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – Cebraspo.

71/20-a.jpg
Montagem sobre pintura tradicional chinesa:
"Mao chega de repente" e pilha os atuais dirigentes
entregando as riquezas ao imperialismo, representado por Bush

Zhao Dong-min é advogado e membro do Partido Comunista da China. Antes de sua prisão, em agosto de 2009, ele já trabalhava há muitos anos prestando serviços jurídicos a muitos trabalhadores para resolver problemas como as pensões não pagas e perdas de outros benefícios. Ele fazia isso como voluntário, não recebendo qualquer compensação. Zhao também atuou como coordenador temporário do Grupo de Estudos Pensamento Mao Tsetung, em Xian, Shaanxi, até sua prisão.

Ele investigou casos em que as empresas foram vendidas ilegalmente e privaram os trabalhadores dos benefícios que eram devidos a eles. Zhao Dong-min acredita que os sindicatos devem desempenhar um papel mais ativo na proteção dos direitos dos trabalhadores nas fábricas e devem ficar atentos para que as administrações não retirem os direitos dos trabalhadores ilegalmente.

A prisão de um lutador do povo

Em 19 de agosto de 2009, Zhao Dong-min foi preso ilegal e secretamente pelas autoridades de Shaanxi e está detido até os dias de hoje. Em 25 de setembro de 2010, a Federação dos Sindicatos de Shaanxi processou Zhao Dong-min por "perturbar a ordem pública". No dia da abertura do julgamento, várias pessoas realizaram uma manifestação em frente ao tribunal. Havia mais de 120 carros de polícia e mil policiais estacionados fora do tribunal.

O pai de Zhao escreveu uma carta relatando que, durante o julgamento da Federação, os fatos foram grosseiramente distorcidos. O pai de Zhao tem 76 anos e é um membro do Partido Comunista da China há quase 60 anos. Em sua carta ele contou a triste história da família do seu filho desde sua prisão. A esposa de Zhao Dong-min ficou doente de tanta preocupação com o marido e depois morreu. As autoridades de Shaanxi repetidamente recusaram os pedidos da família para a liberação temporária de Zhao para ver sua esposa morrer. O filho mais velho sofre de dor de cabeça crônica, o filho mais novo tem apenas três anos de idade.

Acabou a paz para os reacionários

Muitos artigos apareceram na internet apoiando Zhao. Em seguida, um grupo de apoio foi criado em Pequim, contando com a participação de vários antigos membros do Partido Comunista da China. Em seguida, um grupo chamado Yu-Tai iniciou um movimento de massas apoiando Zhao.

Em 10 de outubro, já haviam chegado cartas de apoio de grupos em Pequim, Xangai, Guangdong, Shandong, Hunan, Hubei, Guangxi, Ningxia, Hebei, Shanxi, as cidades de Chongqing, Wuhan, Nanchang, Shenzhen, Jilin, Harbin, Luoyang, Changzhou e outros lugares.

Bai Young (ativista pelos direitos dos povos na China) citou o título do artigo de Mao Uma faísca pode incendiar toda a pradaria e disse que Zhao serviu ao povo e agora está disposto a se tornar uma faísca, e tem usado a sua ação para acender a madeira seca que vai queimar a escuridão e a corrupção. Ele disse que as respostas de todo o país em apoio ao Zhao mostram que o povo chinês, que tanto sofreu nos últimos 30 anos, após a restauração do capitalismo revisionista, está acordado e começou a revoltar-se, e a partir de agora os reacionários não terão paz!


Reforma política é o ponto crítico

Trechos do artigo de Liu Bai referentes à reforma política na China, questão de fundo sobre a qual se abrem as novas lutas entre comunistas e revisionistas no país.

A legitimidade do Partido Comunista Chinês foi contestada tanto pela direita como pela esquerda, e os desafios se tornaram mais abertos e gritantes. A direita vem empurrando a reforma política que vai mudar a Constituição da China para permitir uma democracia multipartidária ao estilo ocidental e este é o movimento que está por trás da Carta de 2008. Liu Xiao Bo, a quem recentemente foi concedido o prêmio Nobel da Paz, é um dos líderes desse movimento.

A esquerda se uniu para apoiar o Pensamento Mao Tsetung e um número crescente de memoriais realizados em setembro, em muitas partes do país, pelo 34º aniversário da morte de Mao, demonstrou sua força. Nestes memoriais, as massas e seus dirigentes exigiram que Yuan Teng-fei fosse expulso do Partido. Yuan vem denunciando abertamente o Partido Comunista da China, o socialismo, e atacando cruelmente o Presidente Mao.

Em 12 de outubro, Bai Young escreveu um artigo intitulado O incidente Zhao Dong-min e a unidade das massas. Neste artigo, Bai Young citou um bem conhecido autor, Tien Zhong-guo e disse que a prisão e o julgamento de Zhao Dong-min refletiam a luta em curso entre as duas classes, entre as duas linhas e entre as duas vias. Bai Young então disse que o caso Zhao Dong-min é o ponto nodal na luta entre aqueles que acreditam no revisionismo e no capitalismo e aqueles que acreditam no marxismo e no socialismo.

Por um lado, a Constituição continua a afirmar que a China é um país socialista e a Carta do Partido continua a indicar que o Partido deve defender os princípios do Marxismo, do Leninismo e o Pensamento MaoTsetung. No entanto, estas alegações não refletem a realidade. A direita considera que a reforma econômica capitalista agora está completa e é preciso que haja uma estrutura política capitalista correspondente. Ela está pedindo uma reforma política que elimine o Marxismo e o socialismo da Constituição e que torne a estrutura política mais consentânea com a realidade da China. Essa reforma vai libertá-la das restrições políticas remanescentes.

Por outro lado, a esquerda quer que o Partido se livre desses que, dentro dele, apoiam a reforma capitalista. A esquerda, é claro, sabe que teria que praticamente ter todos no poder. No entanto, o caso de Zhao Dong-min está forçando a autoridade tanto a apoiar um comunista de verdade que serve aos interesses dos trabalhadores, como apoiar aqueles que prenderam Zhao e o levam a julgamento. Nas cartas enviadas pelos diferentes grupos organizados podemos ver que esta é a questão em confronto. Muitos disseram que este é um teste para ver quem são os verdadeiros comunistas e quem são os falsos comunistas.

Depois apareceu outro artigo intitulado A Reforma Política dos capitalistas reformadores, mesmo bem-sucedida, é uma rua sem saída, de Lao Feng, segundo o qual a reforma política dos capitalistas está quase completa. Ele chama a atenção das pessoas para a reforma e a direção que ela está tomando. Ele disse que os reformadores propuseram mudanças na Constituição para ampliar o poder do Congresso do Povo.

71/20-b.jpg

Algumas pessoas consideram essas mudanças como positivas, mas Lao Feng disse que o Congresso do Povo já foi fundamentalmente alterado e os delegados do Congresso do Povo agora são todos das elites, empresários e burocratas. Ele perguntou: "Como pode qualquer um deles representar os interesses das pessoas comuns?" Portanto, que tal ampliar o número de delegados ao Congresso do Povo? Em uma nota positiva, Lao Feng disse que a reforma política defendida pela direita poderia eventualmente falhar. A razão é que a reforma econômica capitalista já falhou, mas a direita está colocando o fracasso no sistema político ultrapassado. Se a direita for bem sucedida em sua reforma política, o sistema capitalista continuará falhando e então eles não terão mais nada para culpar.

A esquerda na China está utilizando a Constituição, a Carta do Partido e as regras e regulamentos da União para desafiar a autoridade do Partido. Eles querem proteger Zhao Dong-min, um comunista de verdade, que serve ao povo, e usá-lo para mostrar a diferença entre os comunistas verdadeiros e os falsos comunistas. A dicotomia entre a Constituição, a Carta do Partido, as leis e regulamentos da União e a realidade da China dará muito espaço para a esquerda levar avante as suas lutas legais.

Leitores online fizeram muitos comentários e eles são muito interessantes. Alguns deles são bastante longos. Aqui estão alguns exemplos dos pequenos.

  • Os sindicatos são os cães de fila do governo e os traidores dos trabalhadores.
  • Firmemente apoiamos Zhao Dong-min. Queremos justiça para Zhao Dong-min. Firmemente derrotar o revisionismo moderno. Firmemente derrotar os capitalistas no poder.
  • Quando a burguesia tem sua democracia e liberdade, os operários e os camponeses perdem a nossa democracia e a nossa liberdade. Esta é a verdade.
  • A base econômica determina a superestrutura. A nova burguesia estabeleceu seu poder econômico e deve exigir o poder político correspondente. Nova luta começou.
  • Os delegados ao Congresso do Povo da nossa aldeia são todos proprietários de negócios. Ouvi dizer que se você tem dinheiro, você pode comprar uma cadeira de delegado.
  • A reforma está pendurando uma cabeça de ovelha, mas vende carne de cão. Após a reforma política não haverá nenhuma necessidade de pendurar mais uma cabeça de ovelha. Somos ensinados a ser pacíficos e a não lutar. O rico está ficando mais rico e os pobres mais pobres. O povo oprimido deve se unir e lutar.
  • Chegamos ao ponto em que não podemos suportar mais.
  • Eu apoio o movimento para proteger a nossa Constituição. Todas as pessoas que se opõem à opressão da burguesia chegam e se juntam ao movimento. Para todo o proletariado da China e aqueles que realmente acreditam no Pensamento Mao Tsetung é hora de levantar-se e exigir urgentemente a expulsão de Yuan Teng-fei do Partido e que os direitos de Zhao Dong-min sejam protegidos.

Entre os comentários dos leitores, houve um relato de um caso extremo de abuso de poder por parte de uma empresa em Sichuan, na tarde de 11 de outubro. Os trabalhadores que estavam no local da construção pediram para que fossem pagas suas despesas, porém a administração enviou 4 ou 5 “seguranças” que começaram a cortar os trabalhadores com suas facas. Um trabalhador, chamado Lei, foi esfaqueado várias vezes e quando chegou ao hospital foi declarado morto. Outro trabalhador ficou ferido e está fora de perigo.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia
 

Os trabalhadores foram ao hospital para recuperar o corpo de Lei e, em seguida, trouxeram seu corpo para onde ele foi esfaqueado e realizaram um memorial. Os trabalhadores cercaram o corpo de Lei para impedir que ele fosse retirado. Então, às 3:00 da manhã, vieram 100 policiais protegidos por seus grandes aparatos e levaram embora o corpo de Lei. Os trabalhadores e a irmã de Lei tentaram bloquear a polícia, mas foram sobrepujados pelo seu grande número. Na manhã seguinte, um grande número de trabalhadores e alguns moradores da cidade se reuniram nas intersecções de algumas estradas principais e bloquearam o tráfego até meio-dia.

Grandes casos de injustiça como estes ocorrem todos os dias em vários locais na China. Na verdade as pessoas estão se levantando e os reacionários não terão paz!

______________________
*No mês de outubro, Zhao Dong-min  foi condenado a três anos de prisão por “perturbar a ordem pública”, após enfrentar mais de um ano de reclusão por organizar a União de Defesa dos Direitos do Povo em Shaanxi, organização que se encarregava de   supervisionar a reestruturação das empresas públicas e da elaborar relatórios e denúncias de corrupção e abusos de poder. [fonte: chinastudygroup.ne]

 

Autêntico filho da classe operária

Trechos da Declaração do Grupo de Veteranos da Original 68ª Unidade e da 23ª Unidade do Exército Popular de Libertação, da cidade de Da-na, província de Jilin, sobre assuntos relacionados com Zhao Dong-min

Qualquer chinês com consciência e que represente a justiça sabe que o que aconteceu com Zhao Dong-min está além de um incidente isolado e tornou-se algo de grande significado político na China de hoje.

O desenrolar desse caso será o ponto de viragem que determinará se o Partido Comunista da China pode entender quem trilhou pelo caminho errado e retorna ao povo, ou continua a enganar, manipular, oprimir o povo, continuando a trazer mais sofrimento para as pessoas, seguindo o caminho de ser o inimigo do povo e colaborar com as potências imperialistas em suas maldades.

Temos de perguntar: O Partido Comunista da China ainda é, hoje, a vanguarda do proletariado? O governo, ainda hoje, é o governo do povo? E a classe proletária continua a ser o mestre de nosso país? Por que o Partido Comunista oprime o representante dos trabalhadores? De que parte da terra está vindo este tipo de raciocínio?

Zhao Dong-min é um bom trabalhador. Ele é muito disciplinado e exige muito de si no desempenho das suas funções. Seu trabalho efetivamente tem protegido os direitos dos trabalhadores. No entanto, ele foi preso e detido mais tempo do que o limite legal permite e foi colocado na prisão de seu próprio Partido e do seu próprio governo. Zhao Dong-min sofreu esse ataque sem precedentes. Como todas essas injustiças não enfurecem muitas pessoas e não causam preocupação em toda a sociedade e toda a nação?

Somos 108 veteranos da Original 68ª Unidade e da 23ª Unidade do Exército Popular de Libertação. Condenamos veementemente a autoridade legal da cidade de Xian, província de Shaanxi, em sua ação para deter e acusar de forma ilegal Zhao Dong-min. Apoiamos firmemente Zhao Dong-min. Somos velhos soldados, que ingressaram no exército em 1970. Quando éramos jovens, fomos educados e profundamente influenciados pelos ensinamentos do Pensamento Mao Tsetung. Nosso amor por nosso país e por nosso povo está profundamente assente em nossos ossos.

Os subscreventes reclamam à autoridade legal da cidade Xian, província de Shaanxi,  entre outros pontos, que:

1Resolva este processo o mais rapidamente possível e, imediatamente, declare Zhao Dong-min inocente e liberte-o.

2Restaurar a reputação do advogado Zhao Dong-min. Compensar sua perda financeira e seu sofrimento mental.

3Punir severamente aqueles que foram os responsáveis pela falsa acusação e outras ações ilegais tomadas, tornando assim este caso como um exemplo para os outros.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja