Estudantes enfrentam a polícia contra o aumento das passagens

O dia 17 de fevereiro foi marcado por manifestações contra o aumento das passagens de ônibus e pelo passe livre. Milhares de estudantes foram às ruas no Dia Nacional de Luta Contra os Aumentos das Passagens. Em São Paulo e Porto Velho - RO, houve confrontos com a Polícia Militar.

06a.jpg (400×265)
06b.jpg (400×209)
Em São Paulo, PM usa truculência na repressão aos manifestantes

Em São Paulo, desde o dia 5 de janeiro a tarifa do ônibus foi aumentada de R$ 2,70 para R$ 3,00. No dia 17 de fevereiro, centenas de estudantes foram para a porta da prefeitura protestar contra aumento da tarifa que é a mais cara do país.

A polícia reprimiu com brutalidade o protesto estudantil. Pelo menos dez pessoas ficaram feridas durante o confronto entre os manifestantes e a tropa de choque da PM e a Guarda Civil Metropolitana. Os estudantes responderam de forma vigorosa às balas de borracha e as bombas de gás de pimenta.

O servidor público municipal Vinícius Figueira, 25 anos, foi covardemente espancado por PMs. Ele teve que passar por uma cirurgia devido à fratura no nariz provocada pelas agressões. A sua família afirmou que ele ficou com o corpo todo machucado pelos chutes e socos recebidos pelos policiais. 'Ele está com o rosto todo desfigurado', disse Vanessa Faro Chaves, esposa de Vinícius.

Seis manifestantes se acorrentaram às catracas do hall de entrada da prefeitura por 10 horas seguidas em protesto. O Movimento Passe Livre (MPL) de São Paulo anunciou que irá continuar com os protestos até a redução das passagens e a conquista do passe livre para todos os estudantes.

Rondônia

Estudantes quebram "busão" em protesto

06c.jpg (400×146)
06d.jpg (400×224)
Em Rondônia, estudantes apedrejaram ônibus durante o protesto

Em Porto Velho, Rondônia, estudantes universitários e secundaristas de várias escolas organizaram o protesto contra o aumento da tarifa de ônibus na capital.

A passeata, apelidada de 'Porrada no Busão', percorreu as avenidas Farquar e Sete de Setembro. Durante a manifestação, os estudantes enfrentaram a repressão policial e lançaram pedras contra o prédio da prefeitura e ônibus. O protesto foi convocado pelo Comando de Lutas em Defesa dos Direitos do Povo — CLDP, organização que reúne estudantes secundaristas e universitários de Porto Velho, e também por ativistas do Movimento Estudantil Popular Revolucionário — MEPR.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Em nota, os organizadores do ato responderam: "Não somos criminosos! Somos estudantes e trabalhadores e continuaremos lutando com todas as forças até garantir nossos direitos. A atitude da juventude presente na manifestação se justifica e é legítima, o povo tem o direito de se rebelar, a radicalização da luta é reflexo do grau de exploração e revolta da população contra a violência sofrida diariamente ao utilizar o transporte público de Porto Velho".

Em Belo Horizonte, Porto Alegre e outras capitais do país, milhares de estudantes também foram as ruas para impedir mais esse crime contra a população.


NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro