UPP, "milícia" e máfia policial

A- A A+

As empresas de comunicação no Brasil nos têm brindado com uma versão única e replicada a respeito da Segurança Pública. O Estado tem ferramentas para lograr esse consenso. A mais importante é a verba publicitária. O jornal Le monde Diplomatique na sua edição nacional segue essas mesmas diretivas.

O fato que chama a atenção é que esse mesmo jornal conservador, fora do Brasil (e do patrocínio do governo FMI-PT), ao comentar as ações policiais acontecidas no Rio de Janeiro o faz desde um ponto de vista que aqui certamente lhe cortaria as verbas. Na sua edição Cono Sur (destinada à Argentina, Uruguai e Paraguai) de janeiro, traz uma série de reportagens cujo foco principal é a polícia como elemento mafioso nos dois maiores países da América do Sul, intitulada O Estado refém do crime organizado.

O título grandiloquente, entretanto, esconde que, de fato, o Estado não é refém nenhum do crime organizado, senão que organizador, promotor e defensor dos crimes aos quais finge dar combate, o utilizando como pretexto para implementar as mais brutais políticas antipovo contra os pobres.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza