Cortar laços para evitar a rebeldia

A- A A+

77/15b.jpg

Em abril, começou a ser julgado na Argentina o caso de 34, dos cerca de 500, bebês roubados durante o regime militar. Eles eram filhos de militantes da resistência e nasceram em cativeiro. Após o nascimento, foram apropriados por torturadores ou dados à adoção para mantê-los longe da influência "comunista".

Oito militares são acusados na causa conhecida como "Plano sistemático de roubo de bebês". Dentre eles, dois ex-presidentes. O julgamento é resultado de um processo movido pelas Madres de Plaza de Mayo. Estão previstos cerca de 370 depoimentos e deve durar, no mínimo, oito meses. A Associação Madres de Plaza de Mayo estima em 30 mil o número de desaparecidos, dentre eles, cerca de 500 militantes grávidas.

Nesta edição, AND entrevista Agustín Federico Cetrangolo, da agrupação "HIJOS pela identidade e justiça e contra o esquecimento e o silêncio".

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza