Camponeses em guerra contra mineradora e o velho Estado

A- A A+
Pin It
http://www.anovademocracia.com.br/79/15-c.jpg
Ayamaras protestam contra a mina Santa Ana, de capital canadense

Ao menos seis camponeses morreram e 30 ficaram feridos no dia 24 de junho, quando centenas de pessoas tentaram ocupar o aeroporto de Juliaca, no sudeste do Peru, durante o protesto contra uma mineradora da região. Imagens registraram a presença ostensiva dos aparatos repressivos do velho Estado peruano violentando a população. Mais de cem soldados da tropa de choque foram enviados.

Um grupo de manifestantes conseguiu romper a barreira policial e ocupar o aeroporto. Os protestos obrigaram ao aeroporto Manco Cápac a cancelar o movimento de saída e chegada dos voos.

O fato se deu durante o segundo dia de uma greve de 48 horas decretada por grêmios estudantis e camponeses de Juliaca, cidade localizada no departamento de Puno, próximo à fronteira com a Bolívia, cuja maioria da população é de origem aymara. Os transportes, escolas e o comércio da cidade paralisaram. A estrada que liga ao departamento de Cusco foi bloqueada pelos manifestantes. 

A polícia indiscriminadamente lançou bombas e disparos com armas de fogo contra as pessoas que participavam do protesto.

O médico do hospital de Juliaca, Percy Casaperalta, afirmou que "duas vítimas receberam tiros na cabeça, sendo um manifestante e um homem que observava os incidentes. O terceiro óbito ocorreu na mesa de operações, com uma vítima baleada no peito".

A população exige a retirada da mineradora de capital canadense Santa Ana e o fim das concessões mineiras e petrolíferas nessa região do Peru, que prejudicam as atividades agrícolas e pecuárias dos camponeses. A mineração de prata começou em Juliaca em maio e teve a paralisação de uma semana devido à farsa eleitoral no início de junho. 

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Atualmente, a mineração representa dois terços das exportações peruanas. Os camponeses pobres são os que mais sofrem com a exploração mineradora e reclamam que ela contamina a água e suas plantações. Devido ao levante popular, o governo foi obrigado, no mesmo dia 24, a cancelar o projeto de mineração de prata.


Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja