Notícias da guerra popular

Perú

Ataque guerrilheiro aniquila dois oficiais

Com informações de dazibaorojo08.blogspot.com

No dia 15 de setembro um ataque do Exército Guerrilheiro Popular, dirigido pelo Partido Comunista do Peru, derrubou um helicóptero MI-17EP617, de fabricação russa, na região do Vale dos rios Apurímac e Ene — VRAE. Um tenente-coronel e um capitão do exército reacionário foram aniquilados, um capitão e um suboficial ficaram feridos.

Apesar das baixas, o piloto conseguiu aterrissar em uma zona controlada pelos militares.

Índia

Greve geral em Manipur

Com informações de correovermello notícias

No dia 2 de setembro ocorreu um Bandh (greve geral) que paralisou as atividades comerciais e o transporte em Manipur, região leste do país.

A greve foi convocada pelo Partido Comunista da Índia (Maoísta) em protesto contra o sequestro de Changjou, dirigente da Frente Popular Revolucionaria, pelo exército reacionário. Sua esposa, Bibi Devi, denunciou que alguns soldados do exército reacionário, acompanhados de civis, levaram seu marido no dia 18 de agosto, à noite, de sua casa na cidade de Dunkan Basti. Desde então não se sabe o seu paradeiro.

Durante 48 horas o comercio, as escolas e os transportes permaneceram parados.

Executado reacionário em Orissa

Com informações de indiavermella.blogspot.com

No dia 4 de setembro um dirigente reacionário do Partido Janata Baharatiya (Partido do Povo Indiano) foi aniquilado em uma emboscada, na margem de uma barragem no distrito de Malkagari, Orissa, no golfo de Bengala, Leste do País.

Um comando da guerrilha desembarcou na margem da barragem e matou à tiros o dirigente reacionário.

Maoístas atacam um acampamento da policia em Chhattisgarh

Com informações de odiodeclasse.blogspot.com

No dia 15 de setembro o Exército Guerrilheiro Popular de libertação — EGPL, dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoísta), realizou um ataque contra um acampamento da polícia em Pamalwaya, no distrito de Bajapur, no estado de Chhattisgarh, Índia central. Um guarda que vigiava o acampamento foi aniquilado no ato e os guerrilheiros tomaram o seu fuzil AK-47.

Em outra ação, esta no dia anterior, uma unidade com 25 guerrilheiros sabotou várias máquinas e veículos para construção de estradas no distrito de Malkangri, no estado de Andhra Pradesh, No sul do país. Segundo informações veiculadas na imprensa indiana, além dos guerrilheiros, mais de cem populares apoiadores da guerrilha, depois de subjugarem a segurança de uma construtora privada, incendiaram o maquinário.

Os maoístas deixaram cartazes denunciando a construção de estradas na região, que serve às grandes mineradoras, e advertiram que "aqueles que participam dessas obras devem arcar com as conseqüências". Os maoístas também exigiram a retirada imediata das forças de repressão que ocupam a região.

Emboscada em Bastar aniquila um policial

Com informações de indiavermella.blogspot.com

No dia 16 de setembro, efetivos guerrilheiros emboscaram um contingente de 60 policiais no 16º Batalhão aniquilando um soldado. O ataque se deu perto da aldeia de Mutanda, no distrito de Bijpur, 500 km ao sul de Raipur.

Guerrilha justiça líder do Cogresso Trinamool em Jhargram

No dia 20 de setembro uma unidade do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação aniquilou o líder do Congresso Trinamool em Jhargram, no distrito de Midnapore, em Bengala Ociental.

Lalmohan Mahato foi emboscado quando saía de casa pela manhã. Os guerrilheiros se retiraram em duas motos. Junto ao corpo deixaram cartazes esclarecendo que ele foi justiçado por pertencer ao grupo de informantes da polícia chamado Mhairab Bahini.

Outro líder reacionário é aniquilado em Jharkhand

No dia 26 de setembro um influente líder político da reação foi justiçado por guerrilheiros maoístas na área de Binpur, distrito de Midnapore, Bengala Ocidental.

Rabindranath Basu, secretário geral da organização reacionária chamada Jharkhand Janamukti Morcha, estava em uma loja quando um grupo de guerrilheiros montados em motos dispararam contra ele.

Rabindranath Basu já havia sido avisado pelos maoístas que pagaria caro pelos seus serviços prestados à reação. Há um ano ele já havia sido alvo de um ataque guerrilheiro, porém havia escapado com vida.

Filipinas

NEP embosca e aniquila inimigos do povo

Com informações de odiodeclase.blogspot.com

No dia 14 de setembro em Labo, ilha de Camarines Norte, um grupo de 30 guerrilheiros do Novo Exército do Povo — NEP, dirigido pelo Partido Comunista das Filipinas, emboscou um grupo de soldados aniquilando um e ferindo outros três. O ataque foi seguido de 30 minutos de combate e forte tiroteio.

Em outra emboscada foram aniquilados outros três soldados do 75º Batalhão de Infantaria que, na prática, funciona como uma guarda privada dos grandes latifundiários e da burguesia compradora em Sítio Pamian, Barangay Bugac, Lingig e Surgião do Sul.

Turquia

Escritor é prisioneiro político e tem obra destruída

Com informações de bianet.org

A União de Escritores da Turquia emitiu um comunicado criticando a apreensão e destruição do livro inédito do escritor Halil Gündoğan o segundo volume de sua oba "História de um fugitivo: desde Metris rumo ao Leste".

Halil Gündoğan publicou o primeiro volume de sua obra em 2005 e descrevia com detalhes a fuga de prisioneiros políticos da penitenciária de Metris, localizada em Istambul.

Gündoğan havia remetido os originais do segundo volume da obra a parentes, mas eles nunca foram entregues, foram confiscados. A administração prisional decidiu destruí-los alegando que o livro contem "expressões censuráveis e elogios a uma organização terrorista e seus membros" (referindo-se ao Partido Comunista da Turquia / Marxista-Leninista  TKP/ML e do Exército de Libertação Marxista-Leninista dos Operários-Camponeses — TIKKO).

Gündoğan protestou e recorreu contra a decisão da administração prisional, mas teve seu pedido indeferido. O advogado do escritor pediu a devolução da cópia do livro, mas seu pedido também foi recusado. O texto de 200 páginas era a única versão do segundo volume da obra e o defensor do escritor denunciou a atitude da administração prisional como "arbitrária".

Halil Gündoğan foi preso em 1980 e condenado, acusado de pertencer ao TKP/ML e ao TIKKO. Em 1988, fugiu da prisão Metris, juntamente com 28 presos políticos através de um túnel. Em 1995, foi novamente detido e condenado a prisão perpétua.


NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin