José Cantoral está detido há dois meses

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/82/17-c.jpg


Cantoral está em primeiro plano

Transcorridos dois meses da detenção na Bolívia do refugiado peruano José Antonio Cantoral Benavides, acusado de relações com "terrorismo e narcotráfico", nada foi provado com qualquer prova material.

O abuso de poder do governo de Evo Morales não cessa, pois Cantoral é mantido privado de sua liberdade, através da figura de prisão domiciliar, que não corresponde a nenhuma normativa específica do ordenamento jurídico boliviano. Nem mesmo a Comissão Nacional de Refugiados na Bolívia respondeu ao pedido de reconsideração de sua resolução de expulsão do país.

Por tal motivo, familiares, amigos e companheiros de Cantoral multiplicaram plantões em diversos pontos da cidade de La Paz, acompanhados de ações similares nas embaixadas e consulados bolivianos na Argentina, Brasil, Chile e Peru, assim como diversas instituições seguem se manifestando, entre elas a Rede Iberoamericana de Juízes, que trata do assunto nas resoluções da sua V Assembleia, de 23 de setembro de 2011. A declaração na íntegra pode ser lida em www.facebook.com/notes/red-iberoamericana-de-jueces/declaraci%C3%B3n-del-alto-estado-plurinacional-de-bolivia-red-iberoamericana-de-juece/10150382259325540.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

"Rede Iberoamericana de Juízes

Declaração de El Alto, Estado Plurinacional da Bolívia
23 de setembro de 2011

(...)
Resoluções da Assembleia

A Rede Iberoamericana de Juízes, reunida em assembleia, resolve:

1.- Caso Cantoral

A Rede Iberoamericana de Juízes expressa sua preocupação no caso do cidadão peruano refugiado José Antonio Cantoral Benavides, que foi detido por suposta vinculação com o narcotráfico e depois acusado por delitos de terrorismo sem ter nenhuma prova idônea para sustentar ditas acusações, de acordo com fontes confiáveis e documentos que temos visto, dito cidadão não teria tido acesso às devidas garantias de todo acusado e por informação de organismos de direitos humanos tomamos conhecimento de que, além disso, o acusado teria sido vítima de tortura e tratamento cruel, desumano e degradante por parte de agentes do Estado.

A rede Iberoamericana de Juízes exorta o Estado Boliviano a cumprir estritamente as normas do devido processo e garantias fundamentais do cidadão José Antonio Cantoral Benavides, e que se leve a efeito uma investigação rápida e eficaz das denúncias de tortura."


LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja