Marighella contado em monólogo

Nascido em Santa Catarina e residindo em Caicó, na região de Seridó/RN, o grupo teatral Vermelho Núcleo Cênico apresenta pelo país o espetáculo Carlos Marighella e o Chamado de Cangoma, trazendo a público os ideais de um dos maiores revolucionários brasileiros. O espetáculo mostra a pessoa Marighella, seu gosto pela poesia, música e pela liberdade. Sua luta contra o regime militar e a favor da emancipação do povo, tornando-se um dos heróis da história brasileira, mas desconhecido em muitas escolas e universidades.

http://www.anovademocracia.com.br/82/14-a.jpg

— Nós, os integrantes do Vermelho Núcleo Cênico, temos uma relação antiga com o teatro. Participamos de vários grupos teatrais, principalmente do ‘Acontecendo Por Aí’, de Santa Catarina, em atividade, do qual fizemos parte por doze anos. Fui diretor de lá e trabalhei todos esses anos com o mesmo elenco. Mas chegou um momento que decidimos que estava na hora de cada um seguir um caminho próprio, isso em 2006, e então nasceu o Vermelho — conta Lourival Andrade, diretor do grupo.

— Somos até agora em três integrantes, todos saídos do ‘Acontecendo Por Aí’, e temos como proposta fundamental montar espetáculos de autores nacionais ou não, dependendo do caso, que tenham um apelo político muito claro, defendendo ideias políticas de transformação relacionada aos trabalhadores — explica.

— O primeiro espetáculo do grupo, em cartaz há três anos, é um monólogo sobre Carlos Marighella.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin