Prossegue a luta contra o aumento das passagens

A- A A+
Pin It

Manifestantes contra o aumento das passagens em diversas regiões do país convocaram um dia nacional de mobilizações para 9 de fevereiro. Atendendo ao chamado, comitês de luta do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Guarulhos, Recife, Florianópolis, Teresina e Joinville realizaram combativas manifestações.

Em Vitória, manifestantes ocuparam a sede do Sindicato das Empresas de Transportes e Passageiros do Espírito Santo (Setpes-ES). A PM foi acionada e formou uma barreira na entrada do edifício. A ocupação durou cerca de 10 horas. Dois estudantes foram presos.

Em Belo Horizonte – MG, o Comando de Lutas pelo Direito ao Transporte, com megafones e faixas, realizou um ato na Praça Sete, no Centro da cidade. Nas outras cidades, também ocorreram combativas passeatas, ‘catracaços’, panfletagens, etc.

RJ: mês de carnaval, mês de luta


Ocupação da Secretaria de Transportes - RJ

Durante o mês de fevereiro, o Comitê de Luta Contra o Aumento das Passagens do Rio de Janeiro continuou a realizar suas atividades.

No dia 9, como parte do ato nacional de luta contra o aumento, manifestantes do comitê ocuparam a Secretaria de Transportes, em Botafogo, na zona Sul da cidade. A PM invadiu o prédio pelos fundos jogando sprayde pimenta. Os manifestantes não recuaram e permaneceram na frente da Secretaria denunciando a repressão policial.

No dia 14, uma panfletagem foi feita na Central do Brasil em apoio à revolta dos passageiros dos trens da Supervia que ocorreu na manhã do dia 9. Integrantes do comitê denunciaram que a Guarda Municipal tentou impedir a panfletagem.

Também foi organizado um bloco carnavalesco, o Pula Roleta, que saiu, por duas vezes, pelas ruas da Lapa, região central do Rio, com samba e bateria próprios, denunciando o aumento para a população durante as festas de carnaval.

Contra o aumento das barcas

No dia 1º de março, duas manifestações foram realizadas em frente às estações das barcas Rio-Niterói, contra o aumento de R$ 2,80 para R$ 4,50 no valor da tarifa do transporte. Centenas de pessoas compareceram às manifestações, que foram convocadas por diversas organizações.

A primeira, realizada pela manhã, aconteceu na Praça Araribóia, no Centro de Niterói. A segunda, no fim da tarde, ocorreu na Praça XV, Centro do Rio. Um forte aparato policial, contando com a presença da tropa de choque e de agentes do Serviço Reservado (P-2) , foi enviado.

Nos dias que antecederam as manifestações, a Barcas S.A. e a polícia fizeram mapeamento no intuito de identificar os organizadores dos atos.

O professor da rede estadual Henrique, que havia participado das manifestações anteriores contra o abusivo aumento da passagem e que em uma ocasião chegou a ser agredido pelos seguranças da Barcas S.A, recebeu uma intimação acusado de "incitação ao crime" e "apologia ao crime".

Algumas pessoas que ajudaram a divulgar as manifestações em redes sociais na internet, como o Facebook, foram chamadas pela polícia para prestar esclarecimentos.

Os manifestantes afirmam que devido às manifestações, a Barcas S.A adiou o aumento da passagem, que seria em 1º de março, para o dia 3.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Porto Alegre: manifestantes enfrentam a Brigada Militar

Em uma manifestação contra o aumento da passagem de ônibus realizado na noite de 27 de fevereiro, manifestantes entraram em confronto com o choque da Brigada Militar, no centro de Porto Alegre. Na capital gaúcha a tarifa subiu de R$ 2,70 para R$ 2,85, um reajuste de 5,56%.

O ato teve início próximo ao Colégio Júlio de Castilhos, no bairro Santana, de onde os manifestantes saíram em passeata em direção à prefeitura de Porto Alegre. Ao chegaram em frente ao Paço Municipal, a Brigada Militar atacou a manifestação com sprays de pimenta e cassetetes. Os manifestantes não recuaram e enfrentaram a tropa de choque.

Durante o protesto, em resposta à repressão policial, os manifestantes incendiaram dois contêineres de lixo. Imagens feitas por um canal de TV mostram um manifestante com a camisa suja de sangue amarrada na cabeça, após ser agredido pelos policiais.


Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja