Relações impertinentes

Capitalismo burocrático e educação no Brasil – parte 1

http://www.anovademocracia.com.br/89/06b.jpg

Iniciamos este espaço com uma série de reflexões ainda pouco comuns no Brasil, ou seja, a relação entre o tipo de capitalismo que impera nesta parte do planeta, aquele de caráter burocrático, semicolonial e serviçal do imperialismo, com o tipo de educação que nele também impera.

Em essência, e não poderia ser diferente, sendo esse capitalismo aquele atrelado aos interesses imperialistas e a seu reboque, a educação dada ao povo também segue esta lógica: a formação de mão-de-obra e de um cidadão (sic) com a consciência anestesiada para a realidade, acostumada aos constantes achaques, crimes de lesa-pátria, etc, que as classes dominantes (burguesia burocrática e latifúndio) constantemente perpetram na realidade brasileira. Para além da preparação de uma mão-de-obra para o trabalho simples, a construção de consciências servis, dóceis, serve a outro objetivo estratégico para as classes dominantes que não pode ser compreendido dentro do quadro do economismo. Ou seja, o amolecimento do povo para que não perceba a guerra que os agentes daquelas classes produzem e reproduzem sobre as amplas massas. Dessa forma, tais classes gozam das maiores facilidades para continuar espoliando o povo e seu trabalho.

Como o tema, por sua abrangência de aspectos,  é longo e, portanto, demanda tempo e espaço, aqui trabalharemos alguns deles, continuando a discussão em números posteriores de AND. Para este momento, escolhemos traçar os aspectos essenciais do tipo de capitalismo aqui imperante e as relações gerais mantidas com o mundo da educação, principalmente aquela definida pelas classes dominantes como necessária ao povo para a continuidade de seus interesses.

Como é sabido, nos países de capitalismo atrasado, como o brasileiro, que conheceram esse regime de produção e reprodução sócio-metabólico quando esse já tinha se desenvolvido no seu centro e, portanto, já tinha atingido sua fase imperialista, ele se caracteriza por:

1No campo político, pelo acordo entre as classes nele então dominantes: a classe latifundiária e a burguesia burocrática, dividida nas suas frações burocrática, propriamente dita e compradora*, ainda que essas frações disputem entre si pelo controle do Estado.

2No campo econômico, pelo desenvolvimento de atividades exploradoras das riquezas naturais que esta região pode então ofertar, adentrando aos circuitos de capital como ofertante matérias primas;

3No campo social, pelo aprofundamento do fosso existente entre os interesses dos indivíduos nesta sociedade: de um lado aqueles interessados na manutenção da ordem existente, de exploração, e a grande maioria, carente das condições muitas vezes mínimas de sobrevivência, interessada muitas vezes unicamente na sua manutenção física.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin