Fábricas burguesas caem como castelo de cartas

http://www.anovademocracia.com.br/94/13d.jpg
Trabalhadores da Peugeot-Citröen protestam contra demissões

Se a crise geral que assola os monopólios vem explodindo nas nações ao redor do mundo como um rastilho de pólvora entre paiois, ela vem derrubando, a uma velocidade ainda maior, fábricas das empresas capitalistas de maior fama, deitando-as por terra como se fossem um castelo de cartas.

A Nokia, transnacional finlandesa de "telecomunicações", fechou suas fábricas de telefones celulares no Japão e na própria Finlândia, colocando um ponto final na produção da última grande fábrica de telefones móveis do leste europeu. Já a transnacional de material esportivo Adidas anunciou o fechamento da sua única fábrica na China, em Xangai, por razões de "eficiência".

Um dos setores mais castigados pela crise geral dos monopólios é o setor automobilístico, velho termômetro da atividade econômica capitalista. A todo momento surgem notícias de fábricas de carros desaparecendo ou operando a frações da sua capacidade de produção, o que por consequência assombra dezenas de milhares de operários de todo o mundo com o pesadelo do desemprego.

Em meados de julho o executivo-chefe da transnacional do setor automobilístico Fiat declarou ao jornal italiano La Repúbblica que uma em cada quatro fábricas da companhia em todo o mundo está ameaçada de fechar as portas devido à falta de demanda.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro