Luta dos povos indígenas

"Chega de lideranças mortas, devolvam nossas terras!"

Mesmo disposta a prosseguir o diálogo em setembro próximo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Assembleia Indígena Aty Guasu adverte: "Chega de lideranças mortas pelo agronegócio, devolvam nossas terras!". Documento divulgado pelo conselho traduz a dor Kaiowá Guarani no estado que mais pratica violência étnica no país: Mato Grosso do Sul.

Apesar do sofrimento, Nhanderús e Nhandesys conclamam a sociedade nacional e internacional para condenar a destruição da mata, a perseguição aos povos e assassinatos. E denunciam sua situação à Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). "O dia da vitória está próximo", assinalam.

De Dourados, a 228 quilômetros de Campo Grande, o coordenador do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Egon Heck, reitera e lamenta o desapontamento indígena em relação às promessas feitas pela Fundação Nacional do Índio – que ficou pior na gerência de Dilma Roussef mais do que nos tempos de Luiz Inácio.

Ao deixar a gerência, ele reconheceu: "Fiquei em dívida com os Guarani". Passaram-se mais de três anos do prazo para que os relatórios de identificação das terras Kaiowá Guarani fossem publicados. Um termo de ajustamento de conduta assinado por representantes do Ministério Público Federal, da Funai e de lideranças indígenas estabeleceu a data de 30 de junho de 2009 para que os relatórios fossem concluídos e publicados, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, ou seja, a Funai e o governo deveriam pagar mais de R$ 1 milhão em multas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin