Mato Grosso do Sul: latifúndio arregimenta pistoleiros e prepara banho de sangue

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/96/10a.jpg
Guaranis se armam para sua defesa

Cerca de 500 indígenas Guarani Kaiowá e Nhandeva retomaram, na manhã de 3 de setembro, parte dos 4.025 hectares em Potrero Guasu, a 10 km do município de Paranhos, Mato Grosso do Sul.

A área foi declarada território indígena desde 13 de abril de 2000, mas ainda hoje o processo administrativo de demarcação está inconcluso. Desde que foram expulsos de Potrero Guasu, há cerca de 40 anos, os indígenas passaram a viver na aldeia Pirajuí, também em Paranhos.

Os indígenas retomaram apenas um dos latifúndios que invadiram o território. Ao todo, 709 Guarani Kaiowá e Nhandeva ocupam a área.

O Protero Guasu é vizinho de outra área denominada Arroio Korá, que também foi retomada pelos indígenas no último dia 16 de agosto e, desde então, tem sido alvo constante de ataques de pistoleiros a soldo do latifúndio.

Em 10 de setembro, os Guarani Kaiowá sofreram mais um ataque de pistoleiros. Segundo lideranças Kaiowá, cerca de 30 pistoleiros fortemente armados sitiaram o acampamento, destruíram barracos e roubaram os pertences das famílias desabrigadas.

De acordo com reportagem de Ruy Sposati, publicada em cimi.org.br em 10 de setembro, esse foi o segundo ataque de pistoleiros contra os indígenas em menos de duas semanas no mesmo local, e o quarto desde a retomada, realizada no dia 16 de agosto. Em um desses ataques, conforme denúncia já publicada em AND, os pistoleiros assassinaram um bebê de menos de um ano e um guarani Kaiowá está desaparecido desde então.

Assim Dionísio Guarani, liderança local, descreveu o último ataque: "Chegaram atirando pra cima. Vindo pra cima. Destruíram dois barracos e levaram tudo. Pra queimar em algum lugar. Nós gritamos muito".

"Eles estão todos armados, e nós não. O cara da fazenda tá juntando gente [pistoleiro] aqui. Paraguaio, brasileiro. Estamos esperando alguma notícia [dos órgãos públicos]" – declarou o líder Kaiowá a Ruy Sposati.

"Todo o conflito demonstra a inoperância do governo federal para reverter essas crises e também uma aparente falta de vontade política em solucionar o problema" – protestou Cléber Buzatto, secretário executivo do Conselho Indigenista Missionário [fonte: cimi.org.br].


Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja