Música instrumental mineira

http://www.anovademocracia.com.br/97/08b.jpg

Violonista, banjoísta, compositora e professora de violão clássico e teoria musical, a mineira talentosa Cecília Barreto tem uma longa trajetória no cenário da música instrumental de Belo Horizonte. À frente do grupo Violões e Cia e de outros projetos, Cecília aproveita o bom momento para o choro em Belo Horizonte se apresentando, compondo e ajudando a mostrar a força da música instrumental brasileira.

— Aos cinco anos de idade comecei a aprender os primeiros passos no piano. Depois passei para o acordeom, na academia, e paralelamente fazia violão popular sozinha. Mais tarde estudei violão clássico no Palácio das Artes, no Conservatório Mineiro e na Fundação de Educação Artística — lembra Cecília.

 — Nesse tempo já ministrava aulas de música, porque minha trajetória no magistério é desde os onze anos de idade. Comecei dando aulas de teoria musical e de acordeom para outras crianças. Fui professora de violão clássico no Palácio das Artes, onde também atuei como diretora da escola de música — continua.

— Hoje estou aposentada, mas trabalhando mais do que antes no Violões & Cia. E, entre muitas idas e vindas pelos palcos de Minas Gerais e São Paulo, já estou comemorando cinquenta e um anos de carreira. No momento, além do grupo de choro tenho uma banda de jazz, na qual toco banjo tenor — conta.

O Violões & Cia surgiu de uma ideia que Cecília teve de pegar o seu repertório clássico e passar para o ritmo de choro.

— Gosto de coisas inéditas, inovadoras, diferentes. Assim convidei colegas, há princípio para poder fazer um trio com percussão, sete cordas e o meu violão solo. Esse grupo, entrando outras pessoas, já tem vinte anos de existência — contata Cecília.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro