Gafieira e dança de salão

http://anovademocracia.com.br/98/10-a-CaioMonatte3.jpgMarginalizada no passado e depois de anos difíceis, quando quase acabou, a gafieira volta a ocupar um lugar de destaque nas noites do Rio, com cariocas de todas as idades descobrindo a dança de salão.

Disposto a ensinar o samba de gafieira e outras ritmos, o dançarino Caio Monatte divide o trabalho de professor em sua escola com as apresentações de sua companhia, formada por jovens, em festivais de dança pelo estado.

– A gafieira teve uma certa rejeição ao longo da sua história, principalmente porque, no seu princípio, era frequentada pelos considerados malandros, boêmios, e as mulheres da vida. Eram os operários, empregadas domésticas, pessoas de baixa renda. O samba já havia sido criado nos morros e favelas da cidade, por esse povo pobre, e acabou vindo para as gafieiras, surgindo assim o samba de gafieira – diz Caio.

– A escola Caio Monatte está situada aqui no tradicional bairro do Estácio, onde nasceu o samba. Por esse motivo damos bastante ênfase ao samba de gafieira, em ensinar essa dança tão brasileira. Mas é importante dizer que o trivial da dança de salão é o bolero, o soltinho e o samba, e tudo isso ensinamos aqui também. E tem mais coisas nesse universo, como forró, salsa, tango, e outros, igualmente importantes – afirma.

Caio fala que o samba de gafieira é algo muito específico, criado e dançado somente nas gafieiras.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza