Índia: Exército guerrilheiro ataca políticos indianos

A- A A+

Cerca de 50 combatentes do Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL) realizaram um ataque na casa do membro do Conselho Legislativo do Partido do Povo Indiano (BJP, sigla original), Rajan Singh, e de seu primo, Sunil Singh, na região de Sudi Bigaha, distrito de Aurangabad, no Sul de Bihar, no dia 29 de dezembro do último ano, segundo o informe veiculado no portal Hindustian Times.

Rajan Singh não se encontrava em sua residência no momento do ataque. O seu tio, Nagendra Singh, foi morto a tiros pelos maoístas ao tentar impedir que fosse instalado um Dispositivo Explosivo Improvisado (IED) que destruiria a casa do político.

Os guerrilheiros, sob a direção do Partido Comunista da Índia (Maoista), incendiaram ainda um prédio público, ônibus, tratores e carros. Dezenas de IEDs foram instalados pelos maoistas em rotas de confronto para explodir veículos da Força Policial da Reserva Central (FPRC).

Em março de 2013, os guerrilheiros realizaram ataque semelhante na casa de Rajan Singh, matando o seu primo, Ajit Kumar Singh.

O ataque foi motivado por demarcação de território e domínio político dos maoistas contra as atuações de Rajan Singh. Rajan, além de político é também empreiteiro e tem parceria com o dono da empresa de transportes Sunil Singh, cujos veículos rodeiam os territórios onde os camponeses e os maoístas instalaram governos revolucionários populares defendidos pelo EGPL. Outra motivação para o ataque é o fato de o EGPL querer vingar as detenções de alguns de seus dirigentes e a apreensão de propriedades sob o controle do dirigente maoista Sandeep Yadav.

O ataque foi planejado e executado pelos comandantes Sandeep Yadav, Vivek Yadav e Sanjit Yadav com a mobilização, de 25 a 30 guerrilheiros.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira