Em balanço, Talibã anuncia que 23 mil soldados pró-USA foram mortos em 2018

A- A A+
Pin It

O Talibã (ou Emirado Islâmico do Afeganistão), organização armada que atua como parte da Resistência Nacional afegã, tornou público um relatório sobre a guerra de resistência em curso naquele país contra a ocupação imperialista encabeçada pelo imperialismo ianque, o USA. O Relatório de fim de ano sobre o progresso dos Mujahideen (combatentes) e do controle territorial, traduzido em inglês e publicado no portal oficial do Talibã em 31 de dezembro, tem como subtítulo O ano do colapso total da estratégia de Trump, assinado pela Comissão de Assuntos Culturais do Emirado Islâmico do Afeganistão. 

O documento afirma que o ano de 2018 começou com “intensos bombardeios, operações militares e propaganda pelos invasores norte-americanos”, mas que todos foram combatidos ao ponto de “neutralizar totalmente a estratégia inimiga”.

O relatório, foi feito com “bases em dados coletados localmente” para “não deixar dúvida nenhuma sobre informações suspeitas ou imprecisas”, faz um detalhado balanço sobre a atuação daquele que é o principal grupo de Resistência no Afeganistão em cada uma das suas 34 províncias, que no total são compostas por 388 distritos, dos quais um sexto, antes nas mãos do USA e do regime fantoche, foram recuperados pelos afegãos. O controle territorial é exposto em um mapa.

No balanço final do ano, os combatentes talibãs contabilizaram 10,6 mil ataques armados que resultaram, segundo o documento, na morte de 249 soldados invasores estrangeiros (USA incluídos) e 153 feridos. Contra as tropas afegãs que servem à ocupação imperialista como fantoches desde 2001, foram abatidos 22,5 mil militares, forças especiais (comandos), policiais e Arbakis (milicias tribais que apoiam a invasão imperialista). De contingente de inimigos, o Talibã apresenta que 14 mil foram feridos durante as ações do ano passado. São apontados também que do total de inimigos mortos, 514 eram comandantes ou oficiais de alto escalão.

O balanço fornece também o número de veículos destruídos das forças invasoras e colaboracionistas, com 3,6 mil veículos blindados de transporte de pessoal (APCs), caminhonetes pick-ups, caminhões e outros variantes destruídos; 26 aviões, oito veículos aéreos não-tripulados (drones), 17 helicópteros e um avião de carga.

Diante do cenário contabilizado pelo balanço talibã, as forças imperialistas e colaboracionistas não apresentaram nenhuma resposta ou documentos que disputassem o referido analiticamente. Pelo contrário, Donald Trump, nos dias após o documento do Talibã ser divulgado em inglês, pareceu perdido.

Segundo a CNN, logo após o chefe do Estado-maior das Forças Armadas ianques, general Mark Milley, ter visitado de surpresa o Afeganistão no dia 3 de janeiro, Trump teria elogiado a invasão do social-imperialismo russo ao mesmo país que ocorreu em 1979, sem lembrar-se que as forças islâmicas que o USA apoiaram naquela guerra foram o solo de onde brotou os movimentos islâmicos combatidos pelo USA hoje.

Trump também alienou todos os grandes partidos da República da Índia, vizinha geográfica do Afeganistão e aliado na guerra de agressão. “A Índia não precisa de nenhum sermão do USA sobre o Afeganistão.”, disse um porta-voz do congresso indiano em suas redes sociais.

Mapa que acompanhou o relatório, as legendas em inglês e parsi que indicam: verde - 90%¨de controle dos combatentes talibans, marrom - 50% a 90% de controle, cinza -  menos de 50% e branco - sem nenhuma presença do grupo.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja