Albânia: Milhares de estudantes protestam contra aumento das mensalidades da educação

A- A A+

Desde o mês de dezembro, a Albânia tem sido sacudida por importantes protestos estudantis. A reivindicação é contra o aumento das taxas anuais do ensino, que pela proposta do governo passariam a mais de 2,5 mil euros, enquanto o salário médio de um albanês é de 350 euros. Esta importante mobilização contou com protestos estudantis por todo o país, principalmente na capital, Tirana.

Os protestos tiveram início no dia 4 de dezembro, com a mobilização dos estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Politécnica de Tirana. Após três dias de manifestações, milhares de outros estudantes se juntaram à mobilização.

Com paralisações das aulas, os estudantes marcharam até a sede do Ministério da Educação, Juventude e Esportes exigindo que a medida de aumento fosse barrada. Outras medidas foram incluídas, tais como melhores condições dos dormitórios e maior participação estudantil nas decisões políticas.

Estudantes de cidades como Durres, Shkodra, Elbasan e Korça também se juntaram aos estudantes de Tirana paralisando as aulas e organizando manifestações.

Mesmo com a declaração da ministra Lindita Nikolla, do autodenominado “Partido Socialista da Albânia” (PSA), de que o aumento seria anulado, a decisão dos estudantes foi de manter a mobilização por seus direitos. A luta rapidamente tornou-se nacional e uma carta com oito pontos foi enviada ao governo. O ponto central desta carta é a revogação da lei sobre ensino superior, que data do ano de 2015 e que deu abertura para o agravamento da crise da educação superior no país.

O oportunista primeiro-ministro Edi Rama (também do PSA) tentou enrolar os manifestantes, propondo que alunos com melhores notas ou vindos de famílias pobres não pagassem as taxas, além de oferecer 1 mil vagas em empregos públicos, mas foi rechaçado.

Após grande rechaço ao primeiro-ministro, que nos dias seguintes tentou ir até os estudantes para “dialogar” oferecendo negociações e outras promessas, a organização prosseguiu após o ano novo com ocupação de faculdades.

A altivez e a combatividade com que os estudantes mantiveram a mobilização, se negando a dialogar com o primeiro-ministro, obrigaram o governo a reprimir a justa luta dos estudantes. Policiais entraram em confronto com estudantes em algumas ocasiões.

Atualmente, algumas faculdades seguem sendo palco de ocupações. A tendência é que a luta em torno da pauta de revogar a lei sobre o ensino superior cresça e tome novo fôlego. Esta mobilização estudantil tem contado com amplo apoio tanto de professores quanto do povo, se constituindo como uma importante batalha, pois é uma jornada de lutas da juventude albanesa sem precedentes em décadas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza