Afeganistão: 200 soldados pró-invasão são mortos e USA é humilhado

A- A A+
Pin It

Base Militar pró-USA após o ataque. (Agência Reuters)

O Emirado Islâmico do Afeganistão (Talibã) realizou um ataque de considerável envergadura contra uma das bases militares da principal agência de inteligência do governo títere afegão – instaurado em 2001 pela coalizão invasora liderada pelo imperialismo ianque. A ação feita pelo grupo de libertação nacional ocorreu dia 21 de janeiro, na província central de Maidan Wardak (vizinha à capital Cabul).

Há diversas versões sobre o ataque do Talibã contra a base militar. A imprensa ianque, por meio da CNN, afirma que dois carros civis com bombas foram detonados na entrada da base e contabilizou o total de 12 mortos, o informante desse veiculo foi o próprio governo de Maidan Wardak. No entanto, o órgão do monopólio de imprensa britânico, The Guardian, usando um “oficial do ministério da defesa afegão em condição de anonimato" como fonte, relata que o ataque se iniciou com a explosão de um veículo militar ianque capturado pelo Talibã dentro da própria base e afirma que o total de mortos está em cerca de 100. Já o Talibã, por meio do porta-voz oficial Zabi-Allah Mujahid ,afirma que cerca de 200 soldados pró-invasores foram mortos.

O ataque teria sido realizado justamente contra uma base central do Diretório Nacional de Segurança, órgão de inteligência e repressão instaurado pelos ianques, formado principalmente por figuras do antigo KHAD (antigo serviço secreto pró-social-imperialismo soviético) e pelos elementos mais corruptos da resistência contra a invasão russa dos anos 1970 e 1980 (a chamada “Aliança do Norte”).

Um ataque à uma base tão central e estrategicamente importante preocupa os oficiais do regime pró-USA, que veem em suas tropas considerável perda moral. "Isso mostra a fraqueza de nossas forças.", disse um membro do conselho provincial de Maidan Wardak.

De acordo com o porta-voz Zabi-Allah Mujahid, em declaração traduzida para o inglês, a investida ocorreu no mesmo dia em que representantes do Emirado Islâmico do Afeganistão e do USA encontraram-se para seguir adiante com negociações em Doha, capital do Qatar. Segundo a declaração, as negociações seguir-se-ão até o dia 22 de janeiro.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja