Rompimento da Barragem da Mina da Vale em Brumadinho/MG

A- A A+
Pin It

Mais um crime contra o povo e a Nação

Brumadinho. Mais uma cidade em Minas Gerais é varrida por uma onda colossal de rejeitos de mineração da Vale.

Passados pouco mais de três anos do gigantesco crime contra o povo, resultado da ruptura da barragem de Fundão, na mina da Vale/BHP Billiton/Samarco que matou pelo menos 19 pessoas e segue provocando vítimas, desta vez, na tarde de 25 de janeiro, o povo de Brumadinho, cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi atingido pela onda de lama que arrasou tudo por onde passou arrastando pessoas, veículos, soterrando casas e ruas. Um refeitório repleto, em pleno horário do almoço foi atingido. Povoados limítrofes da Mina do Feijão foram atingidos.

Ainda não se tem a dimensão do impacto provocado pelo mar de lama que segue avançando.

Imagens compartilhadas por moradores de Brumadinho e emissoras locais de TV mostram pessoas sendo resgatadas em meio à lama e ao rastro de destruição deixado pela onda de rejeitos.

Não houve, até o momento, (14:30 de 25/01/2019) divulgação de número de mortos e feridos ou dos danos causados.

Há um alerta para evacuação das áreas próximas ao Córrego do Feijão e Rio Paraopeba, responsável pelo abastecimento hídrico de Brumadinho e também da capital.

Mais um crime odioso contra o povo e a Nação para prover os lucros bilionários daqueles que exploram os trabalhadores e nossas riquezas minerais.

Há poucos dias noticiamos o protesto de pescadores de Minas Gerais e Espírito Santo que bloquearam a ferrovia da Vale em protesto contra o descumprimento dos acordos de reparações pelo crime do rompimento da Barragem de Fundão. Hoje, noticiamos o rompimento de mais uma barragem.

As mineradoras locais e transnacionais pululam as terras da semicolônia Brasil e, para exercer sua exploração predatória, cometem os mais abjetos crimes trabalhistas, recebem todo tipo de benesse dos governos que afrouxam as leis e fazem ouvidos de mercador aos apelos e denúncias do povo. Reprimem com brutalidade todos os protestos que se levantam contra estes crimes e a espoliação de nossas riquezas.

Punição para os responsáveis por mais este crime! 

Seguiremos dando cobertura aos acontecimentos e repercutindo as denúncias.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja