Camponeses de Brumadinho bloqueiam mina da Vale em protesto

A- A A+


Lama matou 350 pessoas para gerar superlucros a um punhado de acionistas. Bombeiros / Divulgação

Camponeses da zona rural de Brumadinho fecharam a entrada de uma mina da Vale em protesto, no dia 13 de fevereiro, para exigir melhorias no transporte oferecido pela empresa após o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, que matou aproximadamente 350 pessoas. Uma barricada com pneus de caminhões da empresa foram incendiados.

Por volta de 8 horas da manhã, dezenas de moradores dos bairros de Casa Branca e Aranha fecharam a única estrada que liga o centro da cidade a vários outros bairros da zona rural.

Os camponeses rechaçam o descaso da Vale com relação ao transporte, porque o rompimento da barragem isolou a zona rural do centro urbano. A Vale, que a princípio assumiu a responsabilidade de garantir transporte decente para os moradores, não dispõe transporte em quantidade e qualidade necessárias.

Segundo o camponês José Antônio Gontijo, após o protesto a Vale comprometeu-se a disponivilizar mais ônibus e vans para o transporte até o centro urbano, além de instalar um caixa eletrônico no bairro zuzal e manter uma ambulância 24 horas na região. 'Se não cumprirem, vamos fechar de novo. Nós temos que brigar para tirar o mínimo.", indigna-se.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira