MT: Dirigente camponês de Colniza denuncia ameaças de morte

A- A A+

Montagem dos tiros contra a casa do dirigente camponês Derisvaldo de Sá. Foto do arquivo pessoal do dirigente camponês

O camponês Derisvaldo de Sá, presidente da Associação Gleba União, tem sofrido uma série de atentados e ameaças de morte, segundo denunciou a Ponte Jornalismo, no dia 21 de fevereiro, em seu portal. A associação tem forte atuação na luta camponesa em Colniza, no estado do Mato Grosso.

Segundo Derisvaldo, no dia 12 de fevereiro, sua casa foi alvo de atentado a tiros por pistoleiros. Ele estava dormindo com sua companheira quando sofreu o ataque. “Eu sou um homem marcado para morrer, só não sei quando. Já foi falado que eu vou morrer de acidente, de assalto. Não posso ir mais em uma lanchonete, pizzaria… Basta escurecer e eu fico dentro de casa”, disse o dirigente camponês em entrevista à Ponte.

Na mesma entrevista, Derisvaldo afirma que, além dos grupos de pistoleiros (que organizaram o massacre de Colniza em 2017 e a tentativa de massacre em 2019), a Polícia Militar tem feito, junto com o latifúndio, ameaças contra os camponeses assentados nas terras improdutivas da Fazenda Magali. “A gente continua sendo ameaçado por policiais, por oficiais, por juízes corruptos”, denuncia.

A associação atua principalmente na luta pela tomada da Fazenda Magali, de posse do ex-deputado estadual José Riva, palco de uma chacina de nove camponeses em 2017 – conhecida como Chacina de Colniza – e de uma tentativa de massacre, ocorrida em 2019, que assassinou o camponês Eliseu Quedes, no dia 5 de janeiro.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza