Cebraspo: Nota de apoio ao povo venezuelano contra a intervenção do imperialismo ianque

A- A A+
Pin It
Repercutimos nota emitida pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos - Cebraspo. Retirada de cebraspo.blogspot.com

Foto: AbcNews. Edição: Redação AND


O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO – se solidariza com o povo venezuelano pelas agressões que vem sofrendo por parte do imperialismo dos EUA.
 
Repudiamos a escalada de conflitos que culminou no último sábado, 23 de fevereiro, com o pretexto de entrada de ajuda humanitária, ao arrepio das convenções internacionais sobre o tema, que ressaltam a imparcialidade e a concordância entre as partes nesse tipo de ajuda, tanto é que a Cruz Vermelha Internacional e a UNESCO se recusaram a participar, por identificar uma farsa política.
 
Por trás de tudo está o imperialismo estadunidense, hoje encabeçado pelo governo Trump em seu afã de dominar as reservas de petróleo do mudo. Sob o pretexto de questionar a falta de “democracia” vem intervindo descaradamente na Síria, no Iraque, no Afeganistão e ameaça o Irã com o mesmo argumento. "Falta de democracia" que releva quando se trata das monarquias mais corruptas do Oriente Médio, mas que são suas aliadas, como é o caso da Arábia Saudita.
 
Utilizando-se de traidores internos, sob a liderança do fantoche Guaidó, estimula um clima de desordem interna para justificar a intervenção militar dos EUA que para isso tem contado com os atuais gerenciamentos subjugados aos ditames do EUA, reunidos no Grupo de Lima.
 
Essa agressão direta do imperialismo ianque, liderado por Trump-Pence, para mudar o governo da Venezuela por um dos fantoches ianques, implicaria a mudança da situação semicolonial da Venezuela para a colonial. Esses imperialistas, em nome da luta contra a "ditadura" e a "democracia e liberdade", tentam sujeitar o povo venezuelano à escravidão colonial exclusiva. Constitui a mais flagrante intimidação, interferência, controle e agressão do Estados Unidos contra uma nação oprimida do Terceiro Mundo, violando a independência nacional, a soberania e a dignidade nacional do país e o próprio ordenamento jurídico internacional que é uma expressão da sua hegemonia global, sua Carta da ONU e da OEA.
 
Para isso se valem ainda de ataques econômicos contra a Venezuela, embargando divisas sediadas em bancos norte-americanos e europeus, fruto da condição semicolonial do país por meio de seu principal e quase o único produto de exportação, o petróleo, associado ao investimento estrangeiro direto e aumento da sua dependência financeira com Walt Street. 
 
O CEBRASPO se solidariza com a preparação para a resistência nacional contra a agressão imperialista, irmaniza-se com o povo venezuelano, a fim de salvaguardar a sua independência nacional, a soberania nacional e a integridade territorial.
 
Conclamamos todas as forças democráticas brasileiras a travar uma luta interna para impedir que o país embarque numa agressão ao povo da Venezuela, que somente favorece o imperialismo ianque, e está completamente contrária a solidariedade que sempre orientou a relação entre os povos latino-americanos, todos oprimidos pela situação semicolonial que os impede de desfrutar com justiça as imensas riquezas naturais e capacidades produtivas humanas existentes nos nossos territórios.


FORA EUA E SEUS CAPACHOS DA VENEZUELA!

en español:
 
 

NOTA DE APOYO AL PUEBLO VENEZOLANO CONTRA LA INTERVENCIÓN DEL IMPERIALISMO IANQUE

El Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO – se solidariza con el pueblo venezolano por las agresiones que viene sufriendo por parte del imperialismo de los EUA.

Repudiamos la escalada de conflictos que culminaron el último sábado, 23 de febrero, con el  pretexto de entrada de ayuda humanitária, violando las convenciones internacionales sobre el tema, que resaltan la imparcialidad y la concordancia entre las partes en ese tipo de ayuda, de manera que la Cruz Roja Internacional e la UNESCO se recusaron a participar, por identificarla como una farsa política.

Detrás de todo esto está el imperialismo estadunidense, hoy encabezado por el  gobierno Trump en su afã de dominar las reservas de petróleo del mundo. Bajo el pretexto de  a falta de cuestionar la “democracia” viene interviniendo descaradamente en Síria, en Iraque, en Afeganistã y amenaza Irã con el mismo argumento. "Falta de democracia" que relieva cuando se trata de las monarquias mas corruptas de Medio Oriente, que son sus aliadas, como es el caso da Arábia Saudita.

Utilizandose de traidores internos, bajo la lideranza del fantoche Guaidó, fomenta un clima de desorden interna para justificar la intervención militar de los EUA que para eso cuenta con los atuales gerenciamientos subjugados a los dictamenes de los EUA, reunidos en el Grupo de Lima.

Esa agresion directa del imperialismo ianque, liderada por Trump-Pence, para cambiar el gobierno de Venezuela por uno de los fantoches ianques, implicaria el cambio de situación semicolonial de Venezuela para  colonial. Esos imperialistas, en nombre de la lucha contra la "dictadura" y la "democracia y libertad", intentam sujetar al pueblo venezolano a la esclavitud colonial exclusiva. Constituye a mais flagrante intimidación, interferencia, controle y agresión de los Estados Unidos contra una nación oprimida del Tercer Mundo, violando la independencia nacional, la soberania y la dignidade nacional del país e el própio ordenamiento jurídico internacional que es una expresión de su hegemonia global, su Carta de la ONU e de la OEA.

Para esto se valen todavía de ataques económicos contra  Venezuela, embargando divisas  en bancos norte-americanos e europeus, fruto de la condición semicolonial del país por medio de su principal y casi único producto de exportación, el petróleo, asociado a la inversión estrangera directa y el aumento de su dependencia financiera com Wall Street.
CEBRASPO se solidariza con la preparación para la resistencia nacional contra la agresión imperialista, irmaniza-se con el pueblo venezolano, para  salvaguardar  su independencia nacional, la soberania nacional y la integridad territorial.

Convocamos a todas las fuerzas democráticas brasileras a  una lucha interna para impedir que el país se tire a una agresión al pueblo de Venezuela, que solo favorece al imperialismo ianque, y es completamente contrária a la solidariedad que siempre ha guiado la relación entre los pueblos latinoamericanos, todos oprimidos por la situación semicolonial que los impide de desfrutar con justicia las inmensas riquezas naturales y capacidades productivas humanas existentes en nuestros territórios.

FUERA EUA Y SUS ALIADOS DE VENEZUELA!

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja