MA: Manifestação em defesa de camponeses presos

A- A A+

Foto da manifestação enviada à redação de A Nova Democracia pelo Movimento Fóruns e Redes.

Mais de 300 camponeses tomaram as ruas do município de Arari, no Maranhão, no dia 1º de março, em defesa dos cinco militantes da organização camponesa Fóruns e Redes de Cidadania. Os ativistas, presos políticos desde o dia 28 de fevereiro, eram camponeses residentes do pequeno povoado de Cedro.

A manifestação camponesa carregou várias faixas e cartazes feitos a mão, com os quais os trabalhadores fecharam várias vias contra a prisão arbitrária de seus companheiros e em defesa de suas terras. A frase Somos os escravos de ontem, mas somos donos do nosso amanhã estampava em uma das faixas. 

Em nota assinada pela organização, relata-se que Cedro e outras comunidades camponesas vivem sob o cerco de latifundiários grileiros. “As pessoas estão impedidas de ir e vir, de ter acesso à água, pescar, nem mesmo podem construir suas casas, comunidades centenárias reduzidas a um espaço mínimo, nas mãos de grupos que certamente têm influência juntos aos órgãos do Estado para praticar essas ilegalidades sem nada lhes acontecer.”, denuncia. 

A organização afirma que tais crimes são feitos com o apoio de praticamente todo o aparato do velho Estado na região, contrariando suas próprias leis. “Continua a impunidade das cercas e de seus infratores, muito embora todos os órgãos públicos, de delegacia de polícia, ministério público, Sema, Ibama à dita Sedihpop, já estarem cientes da presente questão que se arrasta numa morosidade infinita e injustificável.”, protesta.

O cerco às comunidades camponesas em luta no Maranhão, estado da federação sob gerência do revisionista Flávio Dino (Pecedobê) é real e tem deixado suas marcas. No dia 26 de fevereiro, outra comunidade camponesa organizada pela organização Fóruns e Redes, chamada Santa Maria, foi invadida por grande contingente de agentes da Polícia Militar, com o objetivo de intimida-los e evitar que produzissem em sua terra, como foi noticiado pelo portal Diário de Luta.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza