RJ: Ato marca 14 anos da Chacina da Baixada

A- A A+

Foto: Reprodução/Internet

Familiares e amigos das vítimas da Chacina da Baixada, que em 2005 matou 29 pessoas nas cidades de Nova Iguaçu e Queimados, realizaram uma manifestação na rodovia Presidente Dutra (BR-116), no dia 31 de março, quando a tragédia completou 14 anos.

Carregando faixas, flores e cartazes com afirmações como “Nossos mortos têm voz”, cerca de 100 pessoas estiveram presentes para refazer o caminho da chacina. O ato também recordou e denunciou o crime político contra Marielle Franco.

Chacina da Baixada

Em 31 de março de 2005, 29 pessoas foram assassinadas na maior chacina da história do Rio de Janeiro. Dentre as vítimas estão crianças, comerciantes, estudantes, funcionários públicos, marceneiros, pintores e garçons, que estavam na porta de suas casas ou andavam pelas ruas.

Foram 11 policiais militares, à paisana, os responsáveis pela chacina. Os assassinos percorreram o bairro da Posse e a Rua Gama, em Nova Iguaçu, e abriram fogo contra aqueles que cruzaram o caminho. Na rodovia Presidente Dutra, ainda no mesmo município, mataram mais duas pessoas. Posteriormente, os policiais militares seguiram para Queimados, onde mais 12 pessoas foram executadas em dois pontos da cidade.

Em 2006, apenas cinco deles foram ao júri popular. Somente o cabo Gilmar Simão, assassinado em 2006, e o cabo Ivonei de Souza, foram acusados por formação de quadrilha. Ivonei entrou com recurso contra a decisão. Outros quatro PMs foram soltos, a pedido do Ministério Pública do Rio de Janeiro, alegando “falta de indícios”. As 29 vítimas não tinham antecedentes criminais e foram escolhidas aleatoriamente pelo bando genocida enquanto conversavam na porta de casa, em bares ou andavam pelas ruas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza