Norte de Minas: Estudantes da Unimontes repudiam as celebrações do golpe militar de 1964

Como parte manifestações populares que aglutinaram milhares de pessoas de norte à sul do país, contrárias às “rememorações” reacionárias ao golpe militar fascista de 1964 proposta pelo fascista Jair Bolsonaro, estudantes da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) realizaram uma série de atividades.

Ativistas do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) confeccionaram um grande cartaz (dazibao), com charges críticas à milicada golpista e fotos dos protestos populares ocorridos no último domingo, 31/03. Foram realizadas passagens em sala convocando os estudantes a se operem ao golpe de Estado militar contrarrevolucionário preventivo ao inevitável levantamento das massas em curso no Brasil. Nas conversas ficou evidente o espírito combativo e anti-imperialista da juventude. Em uma das turmas do curso de História, os estudantes fizeram questão de se fotografarem junto ao mural confeccionado pelo MEPR.

Outras iniciativas ocorreram no mesmo dia, com destaque para uma roda de conversa sobre o tema, convocada pelo Movimento Correnteza e a atual gestão do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Dentre as propostas aprovadas na atividade estão a realização de exibição de filmes e documentários com a presença de militantes políticos da resistência ao regime. Professores e estudantes da graduação e pós-graduação em História e do Centro Acadêmico de Filosofia (CAFIL) já preparam a realização de um debate sobre o real significado histórico do golpe de 1964, dirigido e financiado pelo imperialismo ianque e sustentado internamente pelos seus lacaios da grande burguesia (burocrática e compradora) e do latifúndio.

Importante destacar que todas estas iniciativas se dão em meio a um grande clima de apreensão e indignação frente aos ataques à autonomia, democracia e gratuidade do ensino na universidade, no claro objetivo de sucatear para privatizar a Unimontes, encabeçados por esta mesma extrema-direita, e que conta com a participação direta do governador Zema/NOVO.

Segundo os ativistas do MEPR: “Todo o clamor popular contra o golpe militar de 1964 expressa o descontentamento das massas ao gerenciamento de Bolsonaro e a urgência de unir estudantes, democratas e todo o povo da cidade e do campo para derrotar as medidas reacionárias deste governo latifundista, anti-operário, obscurantista e vende-pátria, tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas”. 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro