MOCLATE se solidariza com a luta indígena em RO, AM e MT

A- A A+


Reproduzimos nota enviada à Redação de AND no dia 5 de abril pelo MOCLATE - Rondônia.


NOTA DE SOLIDARIEDADE AOS POVOS INDÍGENAS DE RONDÔNIA, SUL DO AMAZONAS E NOROESTE DO MATO GROSSO

O Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação – MOCLATE saúda o esforço dos diversos povos indígenas de Rondônia, Sul do Amazonas e Noroeste do Mato Grosso que têm se mobilizado em defesa de seus direitos diante de um governo vende-pátria e criminoso que age para atender os interesses das potências imperialistas no saque das riquezas do nosso país.

Sob a ideologia e discursos integracionistas – marca do gerenciamento militar (1964-1985) que exterminou cerca de 8 mil indígenas naquele período – ataca os direitos dos povos indígenas ao editar a MP 870, que desmontou a FUNAI, transferindo-a do Ministério da Justiça para o recém-criado Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, velha conhecida por difamar os povos indígenas e atentar contra as culturas tradicionais.

Jair Bolsonaro e seus asseclas também retiraram as atribuições de demarcação de terras indígenas e licenciamento ambiental nas Terras indígenas da FUNAI e entregou para a Secretaria de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA, dirigida pelos latifundiários ladrões de terras. Estas medidas são parte de um amplo projeto de extermínio sistemático orquestrado por aqueles que têm verdadeiro ódio dos povos indígenas e outras populações tradicionais, como quilombolas, ribeirinhos, posseiros e camponeses sem-terra. Os ataques aos direitos do povo não se restringem só à população indígena e que vive no campo, mas também aos pobres das cidades, que também são reprimidos pelo aparato repressivo estatal (PM, Força Nacional e Exército) nas periferias das cidades e grandes centros urbanos como o Rio de Janeiro.

Por fim, além de expulsar os indígenas das suas terras, de impor um modelo “integracionista” que desrespeita a cultura, o vende-pátria Bolsonaro, através do Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, quer acabar com a saúde indígena, através da municipalização, desmontando a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas (PNASPI), que é uma conquista histórica e fruto de muita luta.

Conclamamos a todas as organizações populares e classistas a se somar na luta dos povos indígenas e na construção de um amplo movimento que unifique os trabalhadores do campo e da cidade, se unificando em torno de uma Greve Geral de Resistência Nacional, que rechace qualquer manobra de negociar a perda de direitos dos trabalhadores e em defesa dos direitos já suprimidos e dos demais ameaçados. Só com luta unificada e nas ruas conquistaremos vitórias!

Porto Velho/RO, 04 de abril de 2019.

Viva a resistência indígena e popular!

Viva a luta combativa, independente e classista! Fascistas, Não Passarão!

Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação - Rondônia

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja