RO: Indígenas travam mais uma luta por direitos

A- A A+

Fotos: Mário Venere

Na manhã da última segunda-feira, 8 de abril, dezenas de indígenas de diversos povos do sul do Amazonas, Noroeste do Mato Grosso e Rondônia, reuniram-se em Porto Velho (RO) para manifestar sua indignação diante da medida anunciada pela gerência vende-pátria e antipovo de Jair Bolsonaro de acabar com a saúde indígena, através da municipalização, desmontando a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas (PNASPI). Desde a última sexta-feira, 5 de abril, muitos indígenas iniciaram sua marcha, rumo à Porto Velho, para que, na segunda-feira, pudessem se manifestar.

A Universidade Federal de Rondônia (UNIR) – mesmo com a ameaça de grupos de extrema-direita – acolheu os indígenas nas dependências do Campus José Ribeiro. A solidariedade de estudantes, docentes, técnicos, organizações classistas e sindicatos mobilizou um esforço de todos para manter os indígenas nos dias em que se reuniam. Diversos grupos de pesquisa, chefias de Núcleos e Departamentos apoiaram a mobilização indígena com doações e emitindo notas de apoio. A solidariedade de classe demonstrada possibilitou aos indígenas receber colchões e alimentos, que até extrapolaram o necessário, sendo que o excedente será enviado ao Acampamento Terra Livre, em Brasília. O apoio com a saúde de indígenas que estavam doentes, as atividades propostas de divulgação e atividades culturais, como mostra de filmes, movimentaram o campus da universidade no final de semana.

O Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia de Porto Velho esteve presente à Audiência e registrou alguns depoimentos de lideranças indígenas presentes. Também o Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate) esteve presente na audiência panfletando a Nota de Solidariedade aos Povos Indígenas. Em seu manifesto, conclamou “a todas as organizações populares e classistas a se somar na luta dos povos indígenas e na construção de um amplo movimento que unifique os trabalhadores do campo e da cidade, em torno de uma Greve Geral de Resistência Nacional, que rechace qualquer manobra de negociar a perda de direitos dos trabalhadores e em defesa dos direitos já suprimidos e dos demais ameaçados”.

A Audiência programada para a Câmara de Vereadores tinha por objetivo convocar parlamentares estaduais e federais para ouvir a reivindicação dos indígenas. Contudo, apenas alguns vereadores estiveram presentes e os indígenas manifestaram-se para um plenário lotado por eles e por apoiadores. Os presentes vibravam com intervenções de indígenas mais combativos que apontavam o caminho da luta e não da conciliação.

Muitas intervenções apontaram para a necessidade de radicalizar a luta, caso o governo militar de Bolsonaro - tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas reacionárias - não recue em suas investidas contra os povos indígenas. Ativistas da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) denunciaram as ações de grileiros que têm invadido as terras indígenas de Rondônia, sobretudo, a T. I. Uru-eu-Wau-Wau e a T.I. Karipuna. A LCP também denunciou em sua nota a ação de ONGs vinculadas ao imperialismo que, além de caluniarem o movimento camponês, atuam para tutelar os indígenas e mantê-los no caminho da conciliação de classes e distantes da luta combativa. A Nota diz: “Reafirmamos nosso reconhecimento ao direito à autodeterminação dos povos indígenas! Reafirmamos nosso repúdio a qualquer invasão de territórios indígenas! E reafirmamos nossa decisão de apoiar a luta e resistência dos povos indígenas, de buscar alianças e efetivar esse apoio nos fatos, nos dispondo a lutar ombro a ombro na defesa de seus territórios ameaçados!.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja