Rio Grande do Sul à venda: Medidas antipovo de Leite e Marchezan impulsionam iniciativa privada no estado

A- A A+
Pin It

Foto: Reprodução

Já em janeiro desse ano, o governador do estado, Eduardo Leite/PSDB, dizia que umas das prioridades do seu primeiro ano no poder seriam as privatizações. Revelou também que pretendia eliminar a exigência de plebiscito para vender estatais e realizar mudanças em questões envolvendo o funcionalismo, inclusive alterações na Previdência dos servidores.

Comprovando o caráter farsesco das eleições, Leite se apoia nos votos conquistados para justificar suas medidas antipovo e entreguistas: “Nós temos a nossa agenda para o Estado, que foi legitimada pelas urnas. Mas é importante reconhecermos que a agenda de cada um dos deputados também está validada. Por isso, é importante identificarmos convergências para que possamos acelerar processos de projetos que vão para a Assembleia Legislativa”.

Capitão Macedo e Vilmar Lourenço, deputados estaduais eleitos, comentam com entusiasmo sobre as reformas de Eduardo, assim como sua aptidão para o famoso “toma-lá-dá-cá” entre os parlamentares: “É inteligente, da parte do governador, identificar as bandeiras e regiões de representação de cada parlamentar. Importante é saber o momento certo de buscar os possíveis apoios. Não temos divergências significativas. Acredito na redução do Estado, nas privatizações e na necessidade de negociar com os servidores e sensibilizar as corporações. Vi em Eduardo Leite muita determinação para realizar reformas profundas, que ele precisa fazer logo. Temos só um ponto para atacar. É mirar e atirar”.

No dia 9 de abril, na coletiva dos 100 dias de governo, o PSDBista voltou a fazer elegias à privatização. Em 2018 ele já anunciava suas pretensões de privatizar estatais como a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEE), Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Sulgás. Atualmente, além dessas companhias, leite afirma que o governo tem o compromisso de não privatizar o banco Banrisul, mas falou em novas vendas de ações e, sobre a Corsan, sua abertura de capital já está definida e acontecerá até o limite de controle acionário de 49%.

Não obstante entregar tantas estatais às mãos das grandes empresas, Leite também anunciou a concessão de quatro parques para a exploração de serviços: a Floresta Nacional de Canela, Floresta Nacional de São Francisco de Paula, o Núcleo de Gestão Integrada (NGI) nos Aparados da Serra Geral (cambará do Sul) e o Parque Nacional da Serra Geral. Essas, entre outras medidas de privatizações (como na Previdência, educação e saúde), revelam seu plano de governo massivo de venda do Rio Grande do Sul.

Nelson Marchezan Jr., prefeito de Porto Alegre, também do PSDB, não fica para trás na escolha de medidas reacionárias. Desde sua eleição, o político fez declarações, desde “propor a concessão do Mercado Público à iniciativa Privada”, até, como está acontecendo agora, um projeto de concessão de espaços públicos à iniciativa privada (por até 35 anos). Com sua reeleição, Marchezan já tomou diversas outras medidas: aumentou o valor das passagens de ônibus (tirando, inclusive, diversos benefícios à juventude e aos idosos) e está querendo expulsar centenas de famílias de suas casas em vilas que entram em conflito com a ampliação do aeroporto Salgado Filho (como consta matéria do jornal A Nova Democracia), entre outras.

A população riograndense e portoalegrense há tempos se mostra insatisfeita com a situação de completo descaso do estado e, enquanto ele sucateia a saúde, educação, espaços e tantas outras companhias e serviços públicos, para depois entregá-las às grandes empresas, o povo sofre com a falta de tudo. Enquanto os governantes se cegam com sua agenda reacionária e antipovo, não conseguem enxergar debaixo do seu nariz a revolta da população. Talvez seja por isso que a "segurança pública" do RS tenha recebido 112 viaturas para a Polícia Civil e 2.253 coletes balísticos para a Brigada Militar, em contrapartida de apenas 5 ambulâncias para a SUSEPE.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja