PA: Trabalhadores protestam contra truculência da PM na região metropolitana de Belém

A- A A+

Manifestação na Pedreira. Foto: Reprodução

Na noite do dia 25 de abril, os trabalhadores da comunidade Pouso do Aracanga, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, realizaram um ato contra a execução de duas pessoas em uma intervenção policial ocorrida na comunidade.

Durante o ato, os trabalhadores decidiram interditar a BR 316 como forma de denunciar mais um abuso policial. Em resposta ao ato, a Polícia Militar (PM) lançou indiscriminadamente bombas de gás lacrimogêneo e de “efeito moral”, atingindo até mesmo outros trabalhadores que apenas passavam pelo local. Há relatos de que houve disparos com armas de fogo. Toda essa truculência acabou ocasionando tumulto, correria e a dispersão dos manifestantes.

Já na tarde do dia 28 de abril, os trabalhadores do bairro da Pedreira, em Belém, realizaram outro protesto na avenida Marquês de Herval, esquina com a travessa Antônio Baena também pela execução de duas pessoas em uma intervenção policial ocorrida no mesmo dia. A via foi interditada com barricadas de pneus, galhos e restos de madeira para denunciar mais esse abuso policial contra os trabalhadores.

Na tarde do dia seguinte (29), houve novo protesto com barricadas, desta vez com a interdição dos dois sentidos da avenida. Os trabalhadores denunciam que a PM entrou em uma vila de casas onde efetuou prisões, contudo, segundo relatos, após cerca de 20 minutos os policiais levaram de volta os jovens para o mesmo local e realizaram as execuções. No local foram encontrados cartuchos de escopeta e pistola.

Manifestação na Pedreira. Foto: Reprodução

Um trabalhador denuncia que o rapaz foi algemado e colocado na viatura, porém, após um breve momento, os militares voltaram, retiraram o rapaz da viatura e levaram o mesmo para execução. “Quando ele veio, veio com o rapaz de lá, aí pegou o rapaz aqui, deu – lhe um tapa na cara do Cristiano. Depois o cara ficou aqui dentro da viatura, cerca assim de uns 15 a 20 minutos, na mala da viatura. Depois a rotam tirou esse rapaz de dentro da viatura, entrou na alameda e aí começou a desgraceira.”, denunciou um morador.

Outra trabalhadora denuncia que os jovens foram executados sem chance de defesa. “Pegaram ele lá de dentro do camburão, trouxeram, ele algemado pra cá, depois chamaram o Lucas pra cá e começaram a atirar neles sem defesa. O Cristiano tava algemado já.”, afirmou.

Execuções como estas tem se tornado cada vez mais frequentes na Região Metropolitana de Belém, devido principalmente à intensa disputa de território entre narcotráfico e grupos paramilitares (chamadas erroneamente “milícias”) em alguns bairros, enquanto em outros, os mesmos já realizam uma associação devido a uma convergência de fatores.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza