Resistência afegã causa novas baixas aos ianques

A- A A+

Foto ilustrativa

Grupos da Resistência Nacional, especificamente o Talibã, empreenderam uma série de ações contra posições importantes das forças a serviço da ocupação colonial comandada pelo USA, no Afeganistão. A guerra, que perdura já por quase 18 anos, está cada vez mais pendendo a favor da Resistência, que luta para expulsar todas as tropas estrangeiras e por integridade territorial.

Em uma das ações, um posto de controle – tido como estratégico – foi atacado por combatentes da Resistência em Qasgqari, na cidade de Saripul, no dia 13 de maio. Armados com metralhadoras e fuzis de assalto, os combatentes mataram cinco soldados das forças de repressão locais, sob o comando dos ianques, além de deixarem quatro feridos e três detidos. Durante a ofensiva, a Resistência capturou ainda oito fuzis, uma metralhadora e um lançador de granadas, além de vários equipamentos militares.

Essa não foi a única ação da Resistência exitosa. Três dias antes, os combatentes empreenderam uma contra-ofensiva contra tropas ianques e do Exército afegão, que atua sob o controle do USA. Na batalha, que ocorreu no distrito de Chahar Darah, província de Kunduz, um soldado ianque e cinco comandantes locais foram mortos, além de 12 feridos, dentre eles, três soldados ianques.

A batalha ocorreu após as forças pró-colonialismo tentarem uma ofensiva contra as forças da Resistência Nacional. Segundo o portal do Talibã, "o inimigo foi forçado a recuar com as pesadas baixas, depois que sua ofensiva para atacar os civis terminou em derrota". Depois da derrota, em vingança, os ianques bombardearam a área destruindo casas de civis que residem no local.

Além dessa batalha, os talibãs empreenderam também outras baixas ao imperialismo ianque. Na província de Samangan, no distrito de Haram Sar Bagh, três mercenários, dentre eles um comandante, foram mortos e outros dois ficaram feridos após uma ofensiva da Resistência, também no dia 10. Várias armas foram capturadas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza