30M: Mais de 250 mil nas ruas de Belo horizonte em defesa da Previdência e da Educação

A- A A+

Na tarde do dia 30 de maio, mais de 250 mil pessoas tomaram as ruas de Belo Horizonte (MG) em defesa da Previdência e da Educação, que estão sofrendo todos os ataques do reacionário governo latifundista, obscurantista, antipovo e vende-pátria de Bolsonaro/Generais, que tenta de todas as formas impor a política de cortes e arrochos impostos pelo imperialismo, principalmente o ianque.

O ato convocado pelas entidades estudantis e sindicais teve a concentração na Praça Afonso Arinos (Av. João Pinheiros, em frente à Faculdade de Direito da UFMG). Na manhã e tarde do 30M, estudantes (principalmente da UFMG, UEMG e CEFET), professores, funcionários públicos, operários, camponeses e movimentos populares chegaram de todos os cantos.

Por volta das 17h20, um grupo de jovens com os rostos cobertos ateou fogo nas bandeiras do USA e de Israel, sob a consigna de “Yankees go home!”. A ação obteve apoio da massa. Às 18h30, a multidão saiu em passeata, seguindo sentido Savassi, virando a Rua dos Timbiras e pegando a Av. Afonso Pena até a Praça Sete; de lá eles foram até a Praça da Rodoviária, onde acabou o ato.

Para Robson presidente, do SINTECT-MG (sindicato dos correios e telégrafos), “a luta é de todas as categorias, não só estudantes e professores, pois o governo está destruindo a educação e privatizando as estatais como quer fazer com os Correios e a Petrobras, impondo a sua política de entrega. Para barrar tudo isso só com a greve geral!”.

Já o secretário geral do Marreta (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de BH e região) apontou: "Estamos aqui trazendo o apoio à essa luta, por entender que é hora de unidade, pois precisamos organizar grandes movimentos e nos preparar para uma grande Greve Geral, para barrar a ‘reforma' da Previdência, revogar a 'reforma' trabalhista e pelo fim à política antipovo e vende-pátria do governo Bolsonaro. Porém, uma greve sem prazo para iniciar ou terminar”.

Um bloco combativo formado por entidades classistas e movimentos populares de BH e região desfraldou uma faixa com as consignas “NEM BOLSONARO, NEM MOURÃO, NEM CONGRESSO DE CORRUPTOS E FORA FORÇAS ARMADAS REACIONÁRIAS!” e também outra “CONTRA O ASSALTO À PREVIDÊNCIA! GREVE GERAL!”.

Foram distribuídos panfletos com os “10 motivos pela Greve Geral”, assinado por 9 entidades de classe (STIC-BH Marreta, Comerciários de BH e Contagem, SINTECT, SINDADOS, SINDOF, SINTBOR, FETICOM-MG e Caminhoneiros Unidos da Rota 262 e 381). Também foi divulgada a nota da Comissão Nacional da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), “Bolsonaro prega guerra no campo”.

O comitê de apoio ao AND de BH marcou presença e fez uma brigada com a atual edição (nº 223). 

De uma coisa é certa, o povo que tomou as ruas demonstrou vontade e determinação de lutar e por isso devemos nos preparar para grandes manifestações pelo Brasil e futuros embates contra a direita, que também disputa o espaço nas ruas e está decidida a completar seu golpe militar contrarrevolucionário, frente ao inevitável levante das massas, que já deixam claro que não ficarão passivas aos ataques contra seus direitos historicamente conquistados: Preparar a Greve geral de Resistência Nacional!

Vídeos

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja