PA: Marabá se mobiliza pela Greve Geral

A- A A+

Marabá, 30 de maio

Convocadas pelo Fórum em defesa da Previdência Social, diversas manifestações estão ocorrendo em Marabá, no interior do Pará, e cada vez mais vem aumentando a participação popular nesses atos.

A mais recentes das manifestações em defesa do ensino público e gratuito e contra a “reforma” da Previdência foi realizada no dia 30 de maio, atendendo à convocação para luta em defesa da educação pública. Mais uma vez, diversas organizações sindicais, o movimento estudantil e a Associação Discente de Indígenas e dos Quilombolas estiveram nas ruas.

No carro de som, as falas conclamaram a população insatisfeita com o governo de generais de Bolsonaro para se unir na Greve Geral do dia 14 de junho. Um ativista falou da importância de ser derrotada a ofensiva contrarrevolucionária no nosso país, que tem tomado forma de golpe militar. “Nem Bolsonaro, Nem Mourão!”, exclamou. “As massas dessa região conhecem bem o que representa o gerenciamento militar fascista por ter sido local em que se deflagrou a histórica Guerrilha do Araguaia. Não tememos essas Forças Armadas sanguinárias e vende-pátria”, concluiu. Ele também defendeu a preparação da Greve Geral de Resistência Nacional por tempo indeterminado para defender os direitos do povo e a soberania da nossa Nação.

15 de maio

Um bloco conformado pelas Brigadas Populares do Pará e pela Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia (ExNEPe) panfletou material sobre os 10 motivos da Greve Geral e ergueu bem alto uma faixa contra o entreguismo do governo de Bolsonaro -  tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas reacionárias.

O ato foi encerrado com uma Plenária que aprovou uma nova reunião para dia 10 de junho, às 18h, no Taipiri da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) – campus 1. Esta Plenária será para a aprovação do cronograma de organização e mobilização da paralisação do dia 14 de junho.

Antecedentes

Antes, no 1º de maio, centenas de pessoas participaram da caminhada contra o fim da Previdência Social que ocorreu na orla de Marabá. Um abaixo-assinado coletou milhares de assinaturas contra mais este ataque do governo Bolsonaro contra os direitos trabalhistas já conquistados.

Estudantes que constroem a ExNEPe, depois da participação no 23º Fórum Nacional de Estudantes de Pedagogia que ocorreu em Brumadinho (MG), levaram para a manifestação cartazes e panfletos denunciando a farsa da “reforma” da Previdência como um desmonte dos direitos do povo.

15 de maio

Já no dia 15 de maio, um histórico ato levou milhares de estudantes e trabalhadores em educação das redes de ensino superior, municipais e estadual, em conjunto com camponeses, indígenas e quilombolas, além de trabalhadores da cidade, motoqueiros e sindicalistas de outras categorias para as ruas na Greve Nacional da Educação.

Na ocasião, mais de 3 mil pessoas protestaram contra os cortes de mais de 30% das verbas do ensino público, implementado pelo Ministro da Educação, Abraham Weintraub, como chantagem para aprovação da “reforma” da Previdência.

A manifestação, que teve concentração na Unifesspa, iniciou com uma apresentação artística do grupo cultural Rios de Encontro da comunidade do Cabelo Seco, no núcleo da Velha Marabá; depois seguiu caminhada até a prefeitura, somando ao ato dos servidores municipais, e encerrou no núcleo Cidade Nova, em frente ao INSS. Nem o calor escaldante da cidade, nem as forças de repressão intimidaram os manifestantes, que percorreram quilômetros de distância paralisando a Transamazônica. Um bloco formado por mulheres apontou à necessidade de resistir aos golpes contra o direito de aprender dos filhos do povo através da Greve Geral de Resistência Nacional.

15 de maio

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza