Greve Geral: Milhares tomam as ruas de Campinas contra a 'reforma' da Previdência

A- A A+

Fotos: Comitê de Apoio ao AND - Campinas

Na última sexta-feira, 14 de junho, Campinas (SP) também teve manifestação pela Greve Geral contra a "reforma" da Previdência do governo de generais de Bolsonaro. Atos foram realizados durante o dia todo e foram registradas barricadas com fogo em pneus nas rodovias Anhanguera, Miguel Melhado, Santos Dumont e Zeferino Vaz. Os estudantes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) fecharam a entrada do distrito de Barão Geraldo, por volta das 8h da manhã. Além disso, também ocorreu manifestação na Refinaria de Paulínia (Replan), a maior da Petrobras.

Às 17h teve início a manifestação no Centro de Campinas com participação de mais de 20 mil pessoas. No ato feita brigada de venda do jornal A Nova Democracia por parte do Comitê de Apoio da região, assim como nos dias 15 e 30 de Maio. A brigada teve uma grande receptividade por parte dos participantes da manifestação, tendo sido vendidos todos os exemplares disponíveis das duas últimas manifestações.

No ato destacou-se um bloco que reuniu independentes e organizações combativas, como a Alvorada do Povo e o Lute. O bloco colocava em questão a farsa eleitoral e a necessidade de uma Revolução pelas palavras de ordem e nos panfletos distribuídos. Também foram entoadas palavras de ordem do movimento camponês, dizendo que é “Terra para quem nela trabalha”, “Morte ao latifúndio”, e “É greve, é greve, é greve geral, Greve Geral de Resistência Nacional”. Também foi realizada queima das bandeiras dos Estados Unidos e de Israel, ação que foi acompanhado de palmas e dos gritos “Fora Ianques na América Latina” e “Yankees, go home”, mostrando o total rechaço da população ao governo desses países e sua atuação de dominação imperialista e o genocídio que praticam com o povo palestino.

O dia 14, em Campinas e nas mais de 350 cidades em que ocorreram manifestações, só deixam mais evidentes a decisão de lutar do povo brasileira e a clareza de que nem Bolsonaro, nem Mourão e nem o Congresso de corruptos vão resolver nossos problemas, muito menos as Forças Armadas reacionárias. A decisão do povo é para acabar com o sistema de exploração vigente, dar a terra para os camponeses pobres sem terra ou com pouca terra, nacionalizar e industrializar os recursos naturais, valorizar a pesquisa nacional, construir uma universidade que sirva ao povo e  transformar de forma radical a realidade, de modo que só uma Revolução de Nova Democracia poderá garantir.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza