Greve Geral: Mais de 20 mil repudiam 'reforma' da Previdência em Belém (PA)

A- A A+

Foto: Reprodução

A Greve Geral de 14 de junho estremeceu as ruas de Belém, no Pará. Pelo menos 20 mil trabalhadores e estudantes participaram da manifestação central, que ocorreu na parte da tarde. Pela manhã ações foram realizadas para paralisar o comércio e a produção, como cortes de vias e piquetes.

Por volta das 7h30 da manhã, manifestantes atearam fogo em pneus para bloquear o tráfego na Avenida Almirante Barroso, principal via de acesso à cidade. Meia hora depois, os trabalhadores que atuam no Porto e no Terminal petroquímico de Miramar protestaram contra a "reforma" da Previdência e a privatização dos portos e da Petrobras. 

Os trabalhadores do transporte coletivo da cidade também paralisaram desde o raiar do dia, aderindo parcialmente à greve e voltando a circular a partir das 9h. 

A concentração do ato contra a "reforma" e os cortes na educação foi na praça da República, às 10h, seguindo no sentido do Mercado de São Brás. Estima-se que 20 mil pessoas participaram do ato que contou com a participação massiva de estudantes, professores, operários da construção civil, torcidas organizadas, movimentos populares e diversos sindicatos, como o dos bancários, urbanitários etc. 

Mesmo com a paralisação dos transportes públicos, o ato foi massivo, contando com diversas categorias. Um professor da escola pública vestido de cangaceiro disse que a única reforma aceitável é "da Escola Graziela", referindo-se a escola municipal Graziela Moura Ribeiro, na qual ele leciona e que "está caindo aos pedaços".

O Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia esteve presente na concentração do ato, vendendo cerca de 140 jornais de edições anteriores e da atual.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza