Greve Geral: 60 mil pessoas protestam em Porto Alegre

A- A A+

Fotos: Reprodução

Mesmo com tentativas dos reacionários da PM de Porto Alegre de frustrar a Greve Geral, a capital gaúcha, Porto Alegre, ainda teve atividades durante o dia, especialmente na Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com ato iniciado às 17h. O Comitê de Apoio do jornal A Nova Democracia de Porto Alegre foi acompanhar o povo gaúcho nesse dia importante.

A movimentação para o início do ato se deu por volta das 15h, com estudantes começando a se reunir próximos ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRGS. Conforme o tempo passava, mais trabalhadores e estudantes se reuniam ali.

Já próximo das 17h, o ato se direcionou à Esquina Democrática e foi ganhando corpo até por volta das 18h, chegando ao número de 50 a 60 mil pessoas. Diversas faixas contra Sérgio Moro, contra o imperialismo ianque e gritos como Ou para a reforma ou paramos o Brasil eram ouvidos pelo Centro da cidade pela grande multidão.

Mesmo um dos líderes sindicais, em cima do carro de som, pontuou algo que já havíamos ouvido de outros trabalhadores: estavam presentes mais jovens e estudantes do que trabalhadores em si, visto a sabotagem de várias centrais sindicais.

Uma sindicalista do Sindicato Municipal de Gravataí e uma estudante criticaram os sindicatos vinculados às principais centrais sindicais e a União Gaúcha dos Estudantes (Uges) por não se esforçarem na mobilização dos trabalhadores e estudantes.

A trabalhadora, que não quis se identificar, relatou que, durante um piquete realizado na madrugada, os sindicalistas permitiram que a Polícia Militar reprimisse violentamente o ato sem nada fazer; já a estudante criticou a Uges, relatando que a entidade prometeu ônibus para levar ao ato os estudantes de sua escola e que, uma vez mobilizados os jovens, a entidade nada fez.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira