Argentina baixa importação de veículos e operários brasileiros podem ficar desempregados

A- A A+

Bolsonaro e Macri brindam enquanto aplicam medidas antioperárias em seus respectivos países. Foto: Juan Mabromata/AFP

A crise do capitalismo burocrático brasileiro tende a aprofundar diante da crise na Argentina. A indústria montadora automobilística instalada no Brasil deve sofrer uma dura baixa, deixando de exportar pelo menos 240 mil veículos só neste ano, segundo estimativa da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). As consequências para o Brasil podem ser férias coletivas ou demissões em massa para os operários do setor.

Na Argentina, foram vendidos apenas 36,7 mil unidades, menos da metade da quantidade vendida no mesmo período do ano passado (83,2 mil veículos). A Argentina é um dos maiores importadores de automóveis montados no Brasil.

Especialistas preveem que os monopólios da indústria devem colocar a massa de trabalhadores em férias coletivas ou o chamado lay off, que é quando o operário é afastado por um determinado período, mas à disposição da empresa.

Essa medida, lay off foi aplicada pelo monopólio imperialista Volkswagen, afastando uma parcela dos operários por 20 dias, em Taubaté, em São Paulo.

A própria Nissan abortou um plano que alargaria a produção e criaria um terceiro turno de trabalho na fábrica de Resende, no Rio de Janeiro, processo que ocorreria em 2020. Cerca de 80% da produção deste monopólio destina-se ao mercado argentino.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza