México: Revolucionários começam a terceira jornada pela justiça e direitos do povo

A- A A+

Fotos: Corrente do Povo - Sol Vermelho

Em comunicado publicado, a Corrente do Povo - Sol Vermelho (CP-SV) afirmou que está iniciada uma terceira jornada pela justiça e direitos do povo, dentro da qual denunciam o assassinato do dirigente revolucionário Luis Armando por paramilitares.

Os militantes manifestam-se contra as ações de hostilização, perseguição e repressão contra seus companheiros em Oaxaca: “Somos contra as detenções arbitrárias, sequestros, espancamentos, invasões de moradia, roubo de informação física e digital, roubo de equipamentos de computadores, ataques com armas de fogo contra manifestações por parte de grupos policialescos, tentativas de despejo com equipamentos anti-motim, espionagem, ameaças de morte, e, por último, o covarde assassinato de Luis Armando Aquino”, afirmam, referindo ao “Comandante Gato”. E acrescentam: “Tudo isso através das intenções do velho Estado de acabar com as lutas justas do povo”.

Os revolucionários reafirmam também a defesa e aplicação do “marxismo-leninismo-maoismo, principalmente maoismo, como nova, terceira e superior etapa do marxismo”; a formação de uma Frente Revolucionária que dirija as lutas do povo e lute por garantir a condução ideológica de cada uma delas na perspectiva do poder; e deixam claro que a terceira fase de sua jornada por justiça e direitos do povo faz parte dessa construção, e é resultado material de que é possível construir unidade baseada em princípios, unidade na ação e unidade em torno de um programa comum. 

A primeira etapa da jornada iniciou-se no momento em que Dr. Ernesto Sernas, doutor em direito constitucional e militante da CP-SV, desapareceu pelas mãos do velho Estado, em 10 de maio de 2018, no estado de Oaxaca. 

Os revolucionários declaram “Nossas demandas de justiça e pelo direito dos povos não são negociáveis, nem renunciáveis. Não se permutam, não se arriam”.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira