BA: Mais de duas mil pessoas seguem desalojadas após rompimento de barragem

A- A A+

População segue contabilizando os prejuízos. Foto: Alan Tiago Alves/G1

Na manhã do último dia 15 de julho, dados atualizados pela Defesa Civil da Bahia apontaram que mais de duas mil pessoas seguem desalojadas no município de Coronel Sá, na Bahia, que ficou inundada após o rompimento da barragem de água do Quati, localizada na cidade vizinha de Pedro Alexandre. Além dos desalojados, 320 pessoas estão desabrigadas com o rompimento que ocorreu em 11/07 e das fortes chuvas na região do Rio do Peixe.

O número de desalojados subiu desde o dia anterior, 14/07, quando ainda eram contabilizados 1.500, porém o número de desabrigados diminuiu de 400 para 320, pois muitos deles foram para casa de parentes. Muitos foram abrigados nas escolas municipais da região, motivo pelo qual as aulas foram suspensas.

Cabe ressaltar que, somente em Coronel João Sá, mais de 14 mil pessoas foram afetadas de alguma forma pelo rompimento da barragem, sendo que o município tem apenas 17 mil habitantes. As perdas são inúmeras, desde casas alagadas até a perda completa de eletrodomésticos etc. A prefeitura estima que os prejuízos chegam a R$ 10 milhões.

Leia também: BA: Barragem de água rompe em Pedro Alexandre na manhã desta quinta

Os estragos não param por aí. Segundo informações da imprensa local, pelo menos 190 casas da região terão que ser demolidas. No total, 300 residências ficam às margens do Rio do Peixe.

Já no município de Pedro Alexandre, 24 moradores estão desabrigados e 450 desalojados.

Segundo ativistas de movimentos populares que atuam em solidariedade em Coronel João Sá, é possível que algumas tem comunidades ainda estejam isoladas e não se sabe qual a real situação de todos os atingidos.

Há ainda o risco de rompimento de outros reservatórios de água que estão com as estruturas comprometidas, como é o caso da barragem do Denis e de Riacho da Lagoa Grande. O Corpo de Bombeiros da Bahia orientou a população a abandonar a parte baixa e ficar na região mais alta de Coronel João Sá.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza