É lançado o livro ‘Encurralados na ponte’, de Paulo Roberto Ferreira

A- A A+

No fim do mês de maio foi lançado em Belém, pela Editora Paka-Tatu, a obra Encurralados na Ponte: O Massacre dos Garimpeiros de Serra Pelada, do jornalista Paulo Roberto Ferreira.

Paulo Roberto Ferreira é jornalista, tendo trabalhado na chamada imprensa alternativa, nos jornais Bandeira 3 e Resistência, ambos publicados na região Norte. Escreveu o livro A Censura no Pará: A Mordaça a Partir de 1964 e foi coautor de O Homem que Tentou Domar o Amazonas.

Em Encurralados na Ponte, Paulo Roberto relata o episódio ocorrido em 29 de dezembro de 1987, em que garimpeiros da Serra Pelada protestavam pela manutenção da exploração manual de ouro. Decidiram ocupar a Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Tocantins, em Marabá-PA, para pressionar os governantes. Essa ponte faz a ligação da capital Belém com a região Sudeste e Sul do Pará, e é também sobre ela que passa o trem-de-ferro da Vale, que leva os minérios retirados no Projeto Grande Carajás até o Porto de Itaqui, no Maranhão.

Enquanto cerca de 300 garimpeiros ocupavam a ponte, lideranças se buscaram um acordo com as com “autoridades” municipais, estaduais e federais na Prefeitura de Marabá. Ainda durante as negociações, a Polícia Militar do estado do Pará cercou os manifestantes com um pesado aparato. Avançaram 300 policiais de um lado e 40 do outro, atirando sobre a massa, espancando os que caíam no chão e jogando os que tentavam correr no rio, de uma altura de mais de 20 metros. Após o massacre, veículos foram utilizados para sumir com os corpos.

Na época, Paulo Roberto Ferreira foi enviado pelo jornal O Liberal, de Belém, para cobrir o episódio. E agora, mais de trinta anos depois, decidiu voltar à região para entrevistar os sobreviventes e investigar a atual situação dos garimpeiros. 

Em seu livro, o autor busca contextualizar o episódio, analisando como a formação fundiária da região Sul e Sudeste do Pará está diretamente ligada ao latifúndio e suas relações com a mineração. Ainda, expõe como o regime militar manejou com o Garimpo da Serra Pelada para militarizar e controlar a região no período pós-guerrilha do Araguaia. 

Em entrevista ao jornal Diário do Pará, Paulo Roberto disse que “o texto resgata a memória da luta dos garimpeiros, conclama a sociedade à resistência e à participação social. O livro é uma denúncia viva dos conflitos gerados por um modelo de desenvolvimento e consumo que expropria os direitos da população local, afeta a cidade e o meio rural e não garante a sobrevivência das futuras gerações e do planeta”.

Interessados podem adquirir o livro diretamente com a Editora Paka-Tatu:

Loja virtual: www.editorapakatatu.com.br/livraria

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja